adblock ativo

PT faz eleição interna de olho nas sucessões estaduais e presidencial

Publicado domingo, 22 de novembro de 2009 às 21:20 h | Atualizado em 22/11/2009, 21:22 | Autor: Regina Bochicchio, do A TARDE
adblock ativo

Os nomes dos novos dirigentes do PT nacional, estadual e municipal, escolhidos através do PED (Processo de Eleição Direta), que aconteceu neste domingo, em todo o País, serão conhecidos somente nesta segunda, 23, depois de uma madrugada de apuração. Diferente do que ocorreu no último PED na Bahia, em 2007, quando denúncias e confusões embalaram as votações, desta vez os representantes das diversas correntes mantiveram a paz, ainda que com as habituais exaltações de militantes.

A situação é resultado da articulação do presidente regional do partido, Jonas Paulo (Construindo um Novo Brasil), que tenta a releição. Reflete também o empenho do governador Jaques Wagner (PT) em  unificar as principais correntes em torno da candidatura de Jonas – evitando desgastes num ano pré-eleitoral.

Nenhuma denúncia de fraude foi feita até a noite deste domingo. Os militantes tomaram a frente da sede do partido na capital, na Ladeira da Independência (Centro), em clima descontraído.

Unificado - Algumas ocorrências foram registradas nas 8ª e 9ª zonas: houve conflito entre nome de pessoas da lista de votação e eleitores, mas foi resolvido com os  votos em separado.

São cerca de 76 mil filiados na Bahia, sendo 12 mil em Salvador. Estima-se que pelo menos 50% dos petistas participaram do pleito no Estado. Uma sondagem diagnosticou que o candidato nacional José Eduardo Dutra teria pelo menos 50% de votos na Bahia.

Leia a íntegra desta reportagem e acompanhe outras informações sobre a eleição do PT na edição impressa de A TARDE desta segunda, dia 23. Ou acesse aqui a versão digital, se for assinante.

adblock ativo

Publicações relacionadas