Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > portal municípios > CENTRO NORTE BAIANO
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
14/07/2023 às 16:10 - há XX semanas | Autor: Da Redação

RESGATE

Operação flagra trabalho escravo em fazenda de ex-prefeito na Bahia

Grupo trabalhou por 30 dias em fazenda de gado de ex-prefeito de Santa Inês, José Wilson Nunes

Termo de ajuste de conduta foi firmado, garantindo pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil
Termo de ajuste de conduta foi firmado, garantindo pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil -

Onze pessoas de uma mesma família foram resgatadas de situação análoga à escravidão em uma fazenda do ex-prefeito do município de Santa Inês, centro sul da Bahia, José Wilson Nunes Moura.

O grupo trabalhou por 30 dias no local, sem registro e sem pagamento de salários, até ser expulso da propriedade. Os trabalhadores estavam acompanhados de crianças e adolescentes, sendo que uma delas, de 14 anos, também trabalhou na fazenda, o que chegou ao total de 19 pessoas. Um termo de ajuste de conduta foi firmado, para garantir o pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil.

A força-tarefa, composta por servidores do Ministério Público do Trabalho (MPT) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), da Defensoria Pública da União (DPU) e da Secretaria da Justiça e Direitos Humanos (SJDH) do Governo do estado, entrevistou os trabalhadores no assentamento.

Após os depoimentos, foi necessário o apoio operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para ir até ao local, onde as informações prestadas pela família foram confirmadas, configurando a existência de trabalho degradante.

Durante a inspeção na fazenda, foram constatadas irregularidades que causavam risco grave à saúde e segurança dos trabalhadores nos alojamentos e no armazenamento de agrotóxicos. Sendo assim, o galpão de armazenagem e os alojamentos onde a família viveu durante o mês de trabalho foram interditados pela auditoria-fiscal do trabalho.

Com alojamentos precários, sem água potável, sem acesso a equipamentos de proteção tanto para o trabalho com o gado e com a terra quanto para o manejo de agrotóxicos, o grupo chegou até a propriedade sob a promessa de remuneração digna. Após um mês vivendo em condições degradantes de higiene e saúde, eles decidiram cobrar o pagamento, mas foram surpreendidos pela afirmação de que estavam devendo pelos alimentos que consumiram e pelo transporte até a fazenda. O proprietário das terras, indignado com a cobrança, expulsou o grupo, que caminhou por mais de 20 quilômetros até ser encontrado por uma servidora da prefeitura de Santa Inês e ser acolhido em um assentamento.

A família, que é de Capim Grosso, norte do estado, está, desde a expulsão da fazenda, abrigada em uma casa fornecida pela prefeitura. Ao serem expulsos da fazenda, conseguiram obter alimentos e um local para morar. Mesmo com o pagamento das rescisões, eles decidiram ficar no assentamento, já que as condições de moradia em Capim Grosso eram ruins.

Cada um dos 11 resgatados, inclusive o adolescente de 14 anos, vai receber pela rescisão do contrato de trabalho pouco mais de R$4.800, além do seguro-desemprego especial por três meses.

A indenização por danos morais coletivos totaliza R$84 mil e a aplicação desse recurso será definida pelo MPT posteriormente, buscando a reversão em ações de relevância social na própria região.

Assuntos relacionados

ex-prefeito Fazenda operação resgate santa inês trabalho escravo

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

ex-prefeito Fazenda operação resgate santa inês trabalho escravo

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

ex-prefeito Fazenda operação resgate santa inês trabalho escravo

Publicações Relacionadas

A tarde play
Termo de ajuste de conduta foi firmado, garantindo pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil
Play

VÍDEO: Improviso em porta de ambulância viraliza em Feira de Santana

Termo de ajuste de conduta foi firmado, garantindo pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil
Play

Prefeito de Jacobina manobra para reverter cassação de vereador aliado

Termo de ajuste de conduta foi firmado, garantindo pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil
Play

Pais denunciam precariedade de ônibus escolar em Utinga

Termo de ajuste de conduta foi firmado, garantindo pagamento das verbas rescisórias e indenização por danos morais coletivos, no valor total de R$137 mil
Play

Idosa de 93 anos usa maca para ir em banco retirar cartão do INSS

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA