Pastor teria exigido compra de mil bíblias por verbas do MEC

Segundo prefeitos, Arilton lhes garantiu a cessão de verbas, desde que pagassem propina e comprassem bíblias

Publicado quinta-feira, 24 de março de 2022 às 19:14 h | Atualizado em 24/03/2022, 19:14 | Autor: Da Redação

O pastor Arilton Moura, um dos apontados como envolvidos no 'bolsolão do MEC' pediu a prefeitos que comprassem bíblias em troca de negociar verbas do Ministério da Educação.

Prefeito de Bonfinópolis (GO), Kelton Pinheiro afirmou que Moura pediu propina de R$ 15 mil e compra de bíblias em troca de verbas para a construção de uma escola.

Em entrevista à CNN Brasil, Kelton revelou que o pastor disse ter um 'canal' para conseguir os recursos.

"O pastor foi bem direto nas palavras e disse: 'Prefeito, lá no Ministério nós somos amigos do ministro Milton. O que você está precisando na sua cidade?'", disse o prefeito.

Ele disse ter respondido que precisava construir uma escola e o pastor garantiu que conseguiria, mas seria necessário fazer um ofício.

"Ele pediu para eu comprar mil bíblias do pastor Gilmar para ajudar na construção da igreja. Perguntei qual era o valor das bíblias, elas custavam R$ 50. E eu disse que não tinha condições de dar esse tipo de oferta para a igreja, porque era um valor alto e a prefeitura não poderia fazer esse tipo de compra", afirmou o prefeito.

Ele contou que estranhou o modelo explicado pelo pastor e, após o encontro, o prefeito participou de uma reunião com o ministro Milton Ribeiro. O evento, segundo o prefeito, teve caráter técnico e o discurso de Ribeiro foi marcado por falas que ressaltavam “a forma como o governo está trabalhando para combater a corrupção”.

Outro caso

O prefeito de Boa Esperança do Sul (SP), José Manoel de Souza, também relatou que, durante um evento, o pastor lhe ofereceu a construção de uma escola profissionalizante. 

O gestor teria dito que haviam outras demandas na frente, mas o pastor teria insistido e dito que, caso o prefeito quisesse, poderia ter a escola 'na hora'.

"Ele disse: 'Eu falo lá, já faz um ofício, mas você tem que fazer um depósito de R$ 40 mil para ajudar a igreja'", contou o prefeito.

Ministro explica

Em áudio divulgado pela Folha de São Paulo, Milton Ribeiro afirmou que sua prioridade era atender primeiro os municípios que mais precisam e, em segundo lugar, os que são amigos do pastor Gilmar, por recomendação do presidente Bolsonaro.

Em entrevista à CNN Brasil, Ribeiro afirmou que o presidente Jair Bolsonaro lhe pediu para receber líderes evangélicos na pasta e disse que a liberação de verbas seguem critérios técnicos.

Publicações relacionadas