Prefeitura de Lauro de Freitas entregará 21 mil tablets para a comunidade escolar

Publicado quinta-feira, 09 de setembro de 2021 às 10:25 h | Atualizado em 09/09/2021, 10:29 | Autor: Redação

Com o objetivo de diminuir a desigualdade no acesso às aulas remotas, a Prefeitura de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, aposta em um sistema integrado de mais de 22 mil tablets conectados a internet e em uma plataforma de ensino exclusiva para a comunidade escolar.

Em entrevista para o programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM (103.9), a secretária de educação do município, Vânia Galvão, especificou mais sobre o projeto que já entregou mais de 4 mil dispositivos para alunos do 5º e do 9º ano e mil e oitocentos para professores, gestores de escolas e coordenadores pedagógicos.

"Nossa intenção é de que até meados da próxima semana todos os alunos já tenham recebido esse equipamento. A nossa estratégia inicial foi de entregar para os alunos da 5ª e da 9ª série pois eles irão fazer a Prova Brasil, que é o exame que determina o índice de educação básica do município. Já retomamos a sequência normal e acredito que em breve todos os alunos já terão recebido esse equipamento", pontuou.

Ainda de acordo com a secretária, os equipamentos, adquiridos com recursos dos precatórios do FUNDEF, vão possibilitar, além do acompanhamento das aulas, uma maior interação entre alunos e professores, o que deve resultar em uma melhora na qualidade do ensino no município.

"A plataforma foi desenvolvida exclusivamente para Lauro de Freitas e o acesso é voltado para fins educacionais. Faço um apelo para os estudantes que eles entendam que não é um aparelho para uso de joguinhos ou outros aplicativos. A gente sabe que essa geração domina por completo essas ferramentas, então que eles entendam que esse equipamento foi viabilizado para que eles possam acompanhar as atividades e aprimorar o seu desenvolvimento escolar", disse.

A secretária rebateu também as críticas e supostas denúncias de membros da oposição ao processo de aquisição dos equipamentos. De acordo com ela, o processo licitatório foi feito em estrita obediência à legislação e que não existem indícios de irregularidades no ato

"Se acham que teve alguma irregularidade, tem que ter provas efetivas de que isso ocorreu. Fizeram uma denúncia no Ministério Público, que já foi respondida por nós e estamos aguardando o parecer. Na nossa avaliação não houve absolutamente nada que tivesse sido feito fugindo das normas legais, então estamos bastante tranquilos em relação a isso e demos todas as respostas para os órgãos de fiscalização".

Publicações relacionadas