Litoral Norte representa mais de 12% do turismo do estado | A TARDE
Atarde > portal municípios > Home

Litoral Norte representa mais de 12% do turismo do estado

De Lauro de Freitas até Mangue Seco, 193 quilômetros de extensão litorânea são formados por praias paradisíaca

Publicado quinta-feira, 30 de novembro de 2023 às 06:10 h | Atualizado em 11/12/2023, 07:02 | Autor: Claudia Lessa
De Lauro de Freitas até Mangue Seco, 193 quilômetros de extensão litorânea são formados por praias paradisíaca
De Lauro de Freitas até Mangue Seco, 193 quilômetros de extensão litorânea são formados por praias paradisíaca -

Desde a descoberta de suas belezas naturais a partir do prolongamento da Estrada do Coco até Praia do Forte, na década de 1980, a Costa dos Coqueiros tem expandido seu potencial turístico a cada nova temporada de verão. Ancorada em investimentos em infraestrutura (realizados pelos órgãos públicos), hotelaria e imobiliários, a zona turística do Litoral Norte baiano representa, hoje, mais de 12% do turismo de todo o Estado. Até 2030, a projeção de investimentos do setor privado, na região, é de mais de U$ 1,2 bilhão. Em meio a essa visibilidade, representantes de associações e conselhos locais estão debruçados no debate, junto à população e aos órgãos públicos, sobre o ordenamento socioambiental, visando o turismo sustentável.

Da divisa de Salvador com Lauro de Freitas até Mangue Seco, em Jandaíra, já no limite com Sergipe, os 193 km de extensão litorânea da Costa dos Coqueiros são encobertos por paisagens deslumbrantes e praias paradisíacas. Cortado pela BA-099 e formado pelos municípios de Camaçari, Lauro de Freitas, Dias D´Ávila, Pojuca, Mata de São João, Entre Rios, Esplanada, Conde e Jandaíra, o Litoral Norte oferece turismo hoteleiro, imobiliário, gastronômico e de lazer/entretenimento. Na alta estação, o número de turistas na região aumenta mais de 40%, conforme entidades locais ligadas ao setor. Os visitantes se encantam com belas praias, como Ipitanga, Arembepe, Itacimirim, Praia do Forte, Imbassaí, Massarandupió e Mangue Seco; com os lugares pitorescos, a exemplo do Castelo de Garcia d’Ávila e da Reserva de Sapiranga; e com projetos como Tamar e Baleia Jubarte.

Até o início da década de 1970, havia poucos povoados rurais dispersos e populações aglomeradas em lugares de difícil acesso da região, habitada por pescadores e pequenos produtores. Com a construção da Estrada do Coco – trecho que liga Salvador a Itacimirim, em Camaçari – e da Linha Verde – rodovia que vai da Praia do Forte, em Mata de São João, até Mangue Seco, em Jandaíra –, uma intensa expansão humana e imobiliária se deu na região.

Somadas às riquezas natural, cultural e religiosa do Litoral Norte e aos investimentos imobiliários e hoteleiros do setor privado nacional e europeu, ações públicas que atraem visitantes são apontadas pelo Governo do Estado como responsáveis pela consolidação da Costa dos Coqueiros no status de um dos mais importantes destinos turísticos brasileiros. Como exemplos, o secretário estadual de Turismo, Maurício Bacellar, cita a ampliação e modernização do Aeroporto Internacional de Salvador; a construção e duplicação de estradas; o treinamento e a capacitação de mão de obra; os esforços de marketing dentro e fora do Brasil para divulgar a zona turística; e o apoio a eventos gastronômicos, científicos e esportivos.

“A Costa dos Coqueiros tem uma excelente infraestrutura turística, que será ampliada. Estão previstos investimentos da iniciativa privada nesta zona turística baiana, até 2030, mais de US$ 1,2 bilhão. Isso irá potencializar ainda mais esta importante região da Bahia, que já recebe um grande número de visitantes por conta dos diversificados atrativos turísticos que oferece”, enaltece Bacellar.

No início deste mês, dirigentes da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur) se reuniram com coordenadores das 16 Câmaras Técnicas de Turismo, reforçando a parceria pelo fomento do setor. As câmaras são colegiados formados por membros do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil, que atuam nas 13 zonas turísticas da Bahia. Na oportunidade, o titular da pasta destacou a importância dos colegiados no auxílio ao governo estadual para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas ao turismo baiano: “As câmaras vivenciam as necessidades de cada município turístico, para que seus atrativos sejam mais valorizados. Temos muitos destinos com roteiros consolidados, mas ainda temos muitas atrações que precisam ser trabalhadas. Precisamos envolver todas as esferas públicas, entidades não governamentais e o trade turístico, visando resultados exitosos”.

Belezas naturais

Ao longo de seus 193 km de extensão de praias, rios, lagoas, cachoeiras, manguezais e coqueirais, com início na Estrada do Coco e prosseguindo pela Linha Verde, a Costa dos Coqueiros tem um forte turismo hoteleiro, com disponibilidade de 13.200 leitos distribuídos em hotéis, resorts e pousadas. Entre empresários do ramo hoteleiro da região, a expectativa de ocupação para a alta estação 2023/2024 é de uma taxa média de 80%, chegando a 100% na virada do ano e no Carnaval, aproximando dos níveis observados antes da pandemia.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia, Regional Bahia (ABIH-BA), Luciano Lopes, destaca que o verão é o período mais aguardado pelos hoteleiros, já que, além das praias, a Bahia e seu Litoral Norte têm diversos outros atrativos. “De dezembro a fevereiro se espera uma média de 80% a 90% de ocupação, com picos de 100% na noite do Réveillon e no Carnaval, na maioria dos hotéis da região. A Costa dos Coqueiros é um dos lugares que estão despontando no estado, com alta procura de turistas. Um exemplo é Baixio, destino com 14 km de praias, além de lagoas, rios e dunas, em um cenário natural encantador, em Esplanada, que está recebendo investimento de mais de R$ 5 bilhões da incorporadora Prima Empreendimentos, para o desenvolvimento hoteleiro e imobiliário na região, com previsão inicial de implantar um resort e dois hotéis de alto luxo”, analisa.

Nova vertente do setor no Brasil e no mundo, o turismo imobiliário também está em alta no Litoral Norte. O aluguel de residências para turistas registra, na região, um aumento de, pelo menos, 30% no pós-pandemia do Coronavírus, segundo informação de entidades locais. Somando a oferta de casas e apartamentos disponíveis para aluguel na Costa dos Coqueiros, nesta época, a quantidade total chega a ser o triplo no número de leitos em relação aos ofertados pelos resorts, hotéis e pousadas da região. Os inquilinos temporários contribuem, assim, para o incremento econômico da região, já que passam a ser clientes do comércio local.

Publicações relacionadas