Ataque de escorpião: Bahia já soma quase 5 mil casos em 2024 | A TARDE
Atarde > Saúde

Ataque de escorpião: Bahia já soma quase 5 mil casos em 2024

Diretor do CIATox explica causas para o crescimento do animal em áreas urbanas

Publicado quinta-feira, 11 de abril de 2024 às 06:00 h | Atualizado em 11/04/2024, 20:41 | Autor: Isabela Cardoso
Bióloga do Ciave manuseia o mais venenoso da América do Sul
Bióloga do Ciave manuseia o mais venenoso da América do Sul -

O número de acidentes com escorpiões na Bahia aumenta a cada ano, principalmente devido ao crescimento desordenado das áreas urbanas. A falta de saneamento básico e o acúmulo de lixo, entulhos e restos de material de construção, fazem com que os escorpiões procurem abrigo e alimento nas residências.

Acidente escorpiônico ou escorpionismo é o envenenamento causado pela picada do animal através do aparelho inoculador, conhecido como ferrão, localizado no final da cauda, como explica o Centro de Informação e Assistência Toxicológica da Bahia (CIATox-BA).

Em entrevista ao Portal A TARDE, o diretor do CIATox-BA, Jucelino Nery, explicou que tempos quentes e chuvosos favorecem o aparecimento do animal. Eles saem de suas tocas e vão em busca de abrigo em lugares secos, o que aumenta os riscos de acidentes domésticos.

De acordo com dados da instituição, o estado registrou 23.146 casos de escorpionismo e 31 óbitos no ano de 2023. A cidade de Vitória da Conquista foi o município com o maior percentual, contabilizando 1.002 vítimas. Na sequência, tem Feira de Santana (713), Poções (410), Irecê (404), Barreiras (393) e Jequié (345). Em comparação ao ano anterior, a Bahia registrou um aumento de quase três mil acidentes e 14 mortes.

De janeiro até março deste ano, foram registrados 4.759 acidentes escorpiônicos e 10 óbitos. Até o momento, a cidade de Vitória da Conquista continua na liderança do ranking com maior número de casos (145), seguida de Irecê (111), Jequié (108), Feira de Santana (72), Poções (68) e Seabra (64).

“Os períodos quentes e úmidos tendem a ter um número maior de acidentes, pois muitas vezes esses animais são desalojados e vão buscar abrigo em outros locais, além da busca de alimentos, os insetos, se aproximando do ambiente doméstico. Quando encontram situações favoráveis: entulhos, caixas abertas de esgoto, acúmulo de lixo, pilhas de madeira ou material de construção, ou seja, situações que servem de abrigo e oferta de alimento, com a presença de baratas, cupins e outros insetos, se instalam nesses locais, geralmente próximos de residências, ou dentro delas, frestas em paredes, ralos abertos, aumenta o risco de acidentes”, destaca Nery.  

O escorpião-amarelo é o responsável pela maioria dos acidentes graves
O escorpião-amarelo é o responsável pela maioria dos acidentes graves |  Foto: Emanuel Marques da Silva/ SESA
  

Em Salvador, foram registrados 41 acidentes em 2023, sem óbitos. Já este ano, foram contabilizados apenas quatro casos até o mês de março, também sem nenhuma morte pelo veneno. O bairro de Brotas e a região do Subúrbio registraram a maior quantidade de escorpianismo no ano passado.

"Brotas e alguns bairros do Subúrbio apresentaram números significativos de ocorrência de escorpiões no ano passado. Esses locais mudam em diferentes períodos, pois a incidência está relacionada diretamente com as condições de saneamento básico", descreve Nery.

Como evitar os acidentes

- Conserve sempre limpa a área interna e ao redor das residências, evitando o acúmulo de lixo, entulhos e outros materiais;

- Matenha berços e camas afastados da parede;

- Examine roupas e sapatos antes de usar;

- Ande sempre calçado e proteja as mãos com luvas ao trabalhar na terra ou ao manipular entulhos e outros materiais.

Nery destacou que manter o ambiente limpo é fundamental para evitar o aparecimento de escorpiões. "Todos os ambientes úmidos favorecem os insetos que atraem os escorpiões. Em ambientes favoráveis, portas e janelas devem estar bem fechadas e ter telas. Antes de utilizar roupa de cama e de banho, assim como as roupas, é importante sacudir. Muitas vezes esses animais estão ali e quando vai vestir a roupa, comprime contra o corpo e o animal acaba picando", pontua.

O que fazer em caso de acidente

- Lavar o local apenas com bastante água e sabão;

- Colocar a pessoa em repouso;

- Levá-la imediatamente para a unidade de saúde mais próxima;

- Se o animal for capturado, leve-o junto para ser identificado. 

Espécies 

No Brasil, o Tityus serrulatus, conhecido popularmente como escorpião-amarelo, é o responsável pela maioria dos acidentes graves, principalmente em crianças e idosos, sendo necessário o uso do soro antiescorpiônico. Conforme o diretor da CITAox, essa espécie é a mais comum no interior da Bahia.

Escorpião amarelo é considerado o mais perigoso da América do Sul
Escorpião amarelo é considerado o mais perigoso da América do Sul |  Foto: Divulgação | Blog do Anderson
  

No entanto, em Salvador, o escorpião listrado (Tityus stigmurus) é o mais encontrado e possui sintomas parecidos com o escorpião-amarelo, com intensidades mais leves. 

Veja os sintomas:

- Dor moderada à intensa;

- Formigamento;

- Vômitos;

- Dificuldade de respirar;

- Sudorese intensa, principalmente no local da picada;

Segundo Nery, a intensidade dos sintomas depende da quantidade de veneno inoculada. “Nem sempre ele [escorpião] inocula a mesma quantidade de veneno. Se ele se sente ameaçado ou é para proteger os filhotes, tem uma quantidade maior”, conclui.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS