Entenda o que é a doença que motivou agressão no Oscar 2022

Esposo de Jada Smith, Will Smith deferiu um tapa em Chris Rock, que considerou de bom tom ironizar a doença

Publicado segunda-feira, 28 de março de 2022 às 19:21 h | Atualizado em 29/03/2022, 11:21 | Autor: Matheus Calmon
A atriz Jada Smith vive com a doença desde 2018
A atriz Jada Smith vive com a doença desde 2018 -

Além do reconhecimento de filmes como 'Duna', que levou seis estatuetas, e 'No Ritmo do Coração', que venceu a categoria principal, o Oscar 2022 teve como destaque também um momento envolvendo Chris Rock, Will Smith e Jada Smith.

Em determinado momento da apresentação, o humorista achou de bom tom fazer piadas com Jada Smith e sua doença, a alopecia areata que lhe fez perder os cabelos. O esposo de Jada, Will Smith, não gostou da suposta brincadeira e fez questão de invadir o palco e deferir um tapa na cara de Chris, no meio da maior premiação do cinema.

A situação tomou conta do noticiário em todo o mundo e despertou a curiosidade de muita gente: o que é a alopecia?

Trata-se de uma doença autoimune não contagiosa que causa a queda do cabelo em determinada parte do corpo. A principal das causas é o stress, mas a doença não apresenta risco de vida.

A médica dermatologista Daniela Menezes, sócia da clínica Aurea Dermatologia Integrada, conversou com o Portal A TARDE e explicou que a alopecia tem um comportamento imprevisível.

"Do mesmo jeito que ela começa do nada, há a possibilidade de, do nada, o cabelo voltar a nascer. É raro, mas acontece", disse ela, que explicou que esta é uma das doenças que causam a queda de cabelo. com a qual muita gente convive.

"Há a alopecia androgenética, que é a familiar. Todo mundo tem um parente calvo. Ali é alopecia androgenética. É uma condição familiar, de incidência hormonal, que causa a queda de cabelo".

Ela não tem previsibilidade. É uma doença que pode acometer qualquer pessoa e tem espectros, várias formas de apresentação Daniela Menezes, Médica dermatologista
  

Além destes, há a universal, a seborreica, traumática, total e a areata, que é o caso de Jada. "ela tem uma condição, que é autoimune, o próprio corpo produz anticorpos que atacam o folículo piloso e leva à queda do cabelo", explica a doutora.

A forma da atriz americana não é acometida pela forma mais severa da doença, mas também não é a forma mais simples. "A forma da Jada é intermediária. É uma areatadifusa que compromete todo o coro cabeludo, mas os outros pelos do corpo dela, aparentemente, estão preservados", explica Menezes.

Todo caso é passível de tratamento, mas a doença não tem cura. As chances de controle, entretanto, são maiores quando ocorre o diagnóstico e início do tratamento da forma mais precoce possível.

A queda de cabelo acontece exatamente quando os anticorpos atacam o folículo piloso, que é a estrutura que produz o fio de cabelo. O local, entretanto, ainda não tem explicação científica.

"Infelizmente tem pessoas que, mesmo fazendo o diagnóstico precoce, começando a tratar cedo, tudo certinho, ainda evolui para um comprometimento extenso no coro cabeludo, que acredito ser o caso da Jada", diz a médica.

Ela não tem previsibilidade. É uma doença que pode acometer qualquer pessoa e tem espectros, várias formas de apresentação Daniela Menezes, Médica dermatologista
 

A doença não é identificada por exames de sangue e o sintoma é a queda de cabelo, como aconteceu com Jada Smith. Nas redes sociais ela contou que percebeu a queda de cabelo enquanto tomava banho.

"Mamãe vai ter que levar até o couro cabeludo para ninguém pensar que ela fez uma cirurgia no cérebro ou algo assim. Eu e essa alopecia vamos ser amigos… ponto final!", escreveu Jada.

Apesar de não trazer risco de morte, a doença tem forte impacto psicológico, principalmente quando acomete mulheres, que mais sofrem com a ausência das madeixas, como conta a médica.

"Mulher, se a gente for avaliar histórica e culturalmente, usam o cabelo para enfeitar, ficar mais bonita, é a moldura da face. Quando começa a perder isso, sofre muito. Além do sofrimento psicológico da doença, ainda tem que enfrentar os julgamentos e preconceito".

A médica suspeita que a doença na atriz foi manifestada, inicialmente, por placas e evoluiu para uma forma mais grave.

"Provavelmente ela teve as placas e evoluiu para uma forma mais difusa. Às vezes a pessoa começa várias placas pequenas, que vão crescendo, se fundem, e formam placas grandes".

Ela avalia que a agressão física de Will Smith foi um fato assistido por todo mundo. Entretanto, o que ninguém viu foi a agressão psicológica sofrida por Jada.

"Como essas mulheres se sentem, o quanto elas sofrem ao longo da vida com o fato de enfrentar a doença, preconceito, e certos tipos de piada são questões que, de fato, passam despercebidas".

Publicações relacionadas