Saiba porque há pessoas mais suscetíveis a picadas de mosquitos

Em 2018, mosquitos foram os responsáveis por cerca de 725 mil mortes, sendo o humano o segundo animal mais mortal

Publicado sábado, 16 de julho de 2022 às 10:23 h | Atualizado em 16/07/2022, 10:37 | Autor: Da Redação
Pesquisas apontaram que as axilias de humanos com dengue havia mais acetofenona que as de pessoas saudáveis
Pesquisas apontaram que as axilias de humanos com dengue havia mais acetofenona que as de pessoas saudáveis -

Algumas pessoas são mais picadas por mosquitos do que outras e essa preferência dos insetos tem explicação científica. Pesquisas apontam que estes insetos já mataram mais do que todas as guerras da história da humanidade juntas.

Em 2018, mosquitos foram os responsáveis por cerca de 725 mil mortes, sendo o humano o segundo animal mais mortal, com 425 mil vítimas. Um ano antes, em 2017, a Organização Mundial da Saúde aprovou, durante a Assembleia Mundial da Saúde, a Resposta Global para o Controle de Vetores 2017-2030. O objetivo é orientar estrategicamente os países para o fortalecimento urgente do controle dos vetores.

Algumas hipóteses para explicar o motivo de algumas pessoas serem mais suscetíveis a estes insetos baseiam em sinais físico-químicos encontrados no ambiente, como vapor d´água, temperatura, umidade, além dos odores emitidos pela pele humana.

Os mosquitos conseguiriam viver sem picar outros animais, mas o ciclo reprodutivo das fêmeas precisam de sangue para ser completado, o que faz com que estes insetos vivam em busca deste 'insumo'.

Pesquisadores da Universidade Internacional da Flórida, nos Estados Unidos, observaram em mosquitos Aedes aegypti um receptor ionotrópico 8A (IR8A), que permite que esses insetos identifiquem o odor do ácido lático.

Os cientistas então promoveram uma mutação neste receptor e os mosquitos não conseguiram mais identificar o ácido lático e outros odores ácidos exalados pelo corpo humano.

A pele dos humanos e roedores produz um peptídeo antimicrobiano que limita as populações bacterianas, entretanto, em ratos infectados com dengue ou zika, a concentração é reduzida e proliferam-se bactérias do gênero Bacillus, que ativam a produção de acetofenona.

Segundo levantado pelo professor de Microbiologia da Universidade de Salamanca, na Espanha, pesquisas apontaram que as axilias de humanos com dengue havia mais acetofenona que as de pessoas saudáveis. Nos ratos, o tratamento com isotretinoína os tornou menos atraentes para os insetos.

Humanos infectados pelo causador da malária são mais atraentes para os mosquitos Anopheles gambiae, vetores da doença. Com isso, chegou-se à conclusão que estes insetos picam o hospedeiro, retiram o sangue e transportam a outros indivíduos.

Publicações relacionadas