Verão 2024: Como cuidar dos pets durante os dias quentes? | A TARDE
Atarde > Verão

Verão 2024: Como cuidar dos pets durante os dias quentes?

Especialista traz dicas sobre os cuidados com seu animal seja na praia, na piscina ou até mesmo dentro de casa

Publicado quarta-feira, 17 de janeiro de 2024 às 06:00 h | Atualizado em 17/01/2024, 09:17 | Autor: Isabela Cardoso
Os cães precisam de cuidados redobrados para o verão
Os cães precisam de cuidados redobrados para o verão -

O verão de 2024 chegou mais quente, com temperaturas extremas e um aumento frequente das ondas de calor no país. O cenário acontece em momento de intensificação do lazer com amigos, familiares e os animais de estimação.

Para garantir que os bichinhos desfrutem do calor de maneira segura, o Portal A TARDE conversou com Cleber Santos, CEO da Comport Pet e especialista em comportamento animal, em busca dos cuidados necessários para os pets. São ações necessárias para o convívio saudável na praia, na piscina ou até mesmo dentro de casa.

Em relação aos cães, o especialista ressalta que o calor traz diversos malefícios e um dos principais é o mal estar, o que faz com que os peludos fiquem com respiração ofegante e deixem de comer ou beber água.

“Esse grande mormaço faz com que os cães fiquem mais apáticos e diminuam sua alimentação, muitas vezes deixando de tomar água. Com isso, trazendo perda de peso e desidratação, que é um grande perigo. Nos passeios, esse calor pode estar trazendo queimaduras nas patinhas desses cães. Além disso, existe a exposição dos cães ao  possível câncer de pele, principalmente aqueles com pelo muito curto ou que têm falta de pigmentação em sua pele", explicou.

Cleber também faz um alerta para os pelos dos animais. De acordo com o especialista, os tutores precisam se atentar à tosa porque a pelagem serve como uma proteção térmica para os bichinhos. 

Alguns cuidados gerais com os pets, nessa época, devem ser diferentes do restante do ano
Alguns cuidados gerais com os pets, nessa época, devem ser diferentes do restante do ano |  Foto: Arquivo Pessoal

“Um mito é as pessoas acharem que raspar o pelo dos cães, nesse período, vai aliviar o calor e é muito pelo contrário. Os pelos também servem como uma proteção térmica para que não tenha direto o raio solar na pele do animal, expondo a um possível problema de pele através do calor do sol. Os pelos da grande maioria são inteligentes, no sentido de, quando está calor, eles ficam mais abertos para que entre a ventilação e, quando está mais frio, ele se fecha por causa do inverno. Então, devem estar sempre penteados, sem nó, para não dificultar a penetração de água. Manter os banhos deles sempre ali em dia e manter sempre em locais mais frescos”, contou.

Já em relação aos gatos, Cleber Santos destaca que os felinos precisam de um cuidado ainda maior do que os cães por causa da sua respiração e por uma rotina menos ativa fora de casa.

“O seu gasto de energia é tanto que quando tem um ambiente com ar condicionado ou muito fechado, os gatos passam mal mais até que os cães. Os cães ainda tem aquela rotina de passeio, de sair, de ir na rua, os gatos não. Imagina o gato em um local fechado e ainda sem um ar condicionado, sem uma ventilação apropriada, eles acabam sofrendo mais. Muitas vezes aquela fonte do gato também acaba ficando mais tempo exposta a um calor”, disse.

Veja as dicas do especialista para seu pet no verão:

- Conheça as regras locais: antes de planejar um dia de praia com seu pet, verifique as regras locais. Algumas praias podem ter horários específicos ou áreas designadas para cães. Esteja ciente das normas para garantir uma experiência positiva.

- Horários estratégicos: evite expor seu pet ao sol entre 10h e 16h, quando as temperaturas estão mais altas. Opte entre 6h e 10h ou após às 16h, para reduzir o risco de queimaduras e desconforto.

- Higiene e saúde: antes de levar seu pet para a praia, certifique-se de que ele tenha feito suas necessidades em uma área apropriada. Isso ajuda a evitar contaminação na areia, garantindo a segurança de crianças e adultos que frequentam o local.

- Vacinação e vermifugação: mantenha a vacinação e a vermifugação do seu pet em dia. Praias, sendo locais abertos, podem abrigar diversos parasitas durante a noite. Além disso, quando voltar de um passeio, verifique se o seu animal não pegou pulgas, carrapatos ou outros parasitas. 

- Água fresca e hidratação: em casa, ofereça água fresca a seu pet a cada 20 ou 30 minutos ou também coloque recipientes cheios espalhados pela casa, assim como deve levar na mochila em casos de passeios. Uma boa opção é dar a eles cubinhos de gelo ou frutas congeladas para se refrescarem.

- Protetor solar específico: aplique um protetor solar específico para animais em áreas onde o pelo é mais escasso, como barriga, focinho e orelhas. Evite produtos destinados a humanos para evitar intoxicações.

- Cuidado na tosa: os pelos de cães e gatos são também a sua proteção solar. Eles possuem pelagem “inteligente” que, de acordo com a época, pode se adaptar a diferentes temperaturas. Evite tosar em excesso seu animal, principalmente no calor. 

- Dê banho com mais frequência: está liberado dar um banho por semana, pois isso refresca e alivia o calor do seu pet. Lave-o com água em temperatura ambiente e não deixe de secá-lo bem com um secador em temperatura média. 

- Atenção aos sinais de estresse: esteja atento aos sinais de estresse em seu pet, como respiração acelerada. Se necessário, procure áreas mais tranquilas e ofereça momentos de descanso.

Os tutores devem tomar cuidado com a temperatura do solo para não queimar as patas dos pets
Os tutores devem tomar cuidado com a temperatura do solo para não queimar as patas dos pets |  Foto: Luciano Carcará / Ag. A Tarde

As políticas em relação à entrada de cães nas praias podem variar amplamente de acordo com as regulamentações locais. Além disso, essas políticas podem mudar ao longo do tempo. Portanto, é sempre recomendável verificar as regras específicas da praia escolhida. Algumas praias no Brasil têm permitido a presença de pets, muitas vezes com algumas restrições.

Segundo Cleber, o ideal seria a formulação de leis que previssem uma área delimitada das praias, como um "cachorródromo," que se estenda do calçadão até a água, além de se estabelecer um horário permitido para a presença dos cães. Essa prática, que já é comum em alguns parques, proporciona um espaço controlado para os pets.

O A TARDE PLAY foi em busca de especialistas para colher as melhores dicas em relação aos cuidados que devem ser tomados com os animais de estimação durante o verão. Horários de passeio, alimentação, hidratação, temperatura ambiente e a diferença no cuidado de cães e gatos são temas abordados nesse conteúdo repleto de fofura, pelos e alegria.


Publicações relacionadas