Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > a tarde + > CINEINSITE
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
19/06/2024 às 12:31 - há XX semanas | Autor: Bianca Carneiro

ANIMAÇÃO BRASILEIRA

Ex-animador do "Sítio" estreia novo projeto infantil: "Inspirador"

Reynaldo Marchesini revelou planos de fazer longas e parcerias com animadores baianos

Animador tem 27 anos de experiência no mercado da animação
Animador tem 27 anos de experiência no mercado da animação -

Um dos campos mais ativos do audiovisual brasileiro, a animação tem tido cada vez mais destaque no país. O segmento, inclusive, é o tema da tradicional CineOP, Mostra de Cinema de Ouro Preto, que vai até o dia 24 de junho: “Cinema de animação no Brasil: uma perspectiva histórica”.

>>> História da 1ª médica negra do Brasil vira filme: "Mensagem crucial"

Na vanguarda da animação, estão nomes como o de Reynaldo Marchesini. Com 27 anos de experiência no mercado, ele é fundador da produtora de conteúdo infantojuvenil Flamma e assinou animações famosas como as do "Sítio do Picapau Amarelo" e "Princesas do Mar". Seu mais recente projeto, a série infantil “Lupi e Baduki”, estreou na última segunda-feira, 17, no Discovery Kids e na Max.

A riqueza das histórias e a originalidade visual são marcas registradas das produções brasileiras. Muitas vezes, as obras animadas exploram temas sociais e culturais enraizados no país. É aí que se encaixa “Lupi e Baduki”, que conta as aventuras de dois animais tipicamente brasileiros, que são melhores amigos: uma loba-guará e um bicho-preguiça.

Em entrevista ao Cineinsite A TARDE, Reynaldo disse que a inspiração para fazer o desenho surgiu a partir da própria família. “Eu sempre observava atento às diferenças entre minha filha e meu filho. Ela, agitada, falante, e ele, por outro lado, sempre na dele, evitando, ao máximo, chamar a atenção. Mas era encantador ver que, entre eles, nada disso importava. Quando criei a série, em 2014, já vivíamos num mundo com polarização e pouca empatia, foi então, que juntando essa admiração pelo exemplo deles de que diferentes podem sim conviver em harmonia com a minha inquietude diante da polarização e intolerância à diversidade, que criei o universo ao redor de Lupi - essa lobinha guará intensa e alegre - e Baduki - um bicho-preguiça observador e curioso”, explicou.

Reynaldo afirma que a escolha de representar animais brasileiros foi de não só homenagear a fauna do país, como também, chamar a atenção para os riscos de extinção que eles vivem na vida real. Mas estes animais não são os únicos, na floresta dos amigos também há espaço para Carlos, um ouriço-cacheiro, Jabu, um jabuti-piranga, Ana Maria, uma onça jaguatirica, e até a gata Ceci.

Toda a série é guiada pela alteridade, que, para Reynaldo, é crucial no desenvolvimento da infância. No entanto, outros temas relacionados são abordados. “Ciúmes entre amigos, a descoberta de gostos em comum com amigos improváveis, a pressão para se encaixar no grupo. Estes aspectos positivos e negativos do contato com o outro requer este incentivo a perceber e acolher o outro, por mais diferente que ele aparenta ser. Todos os episódios partiram de premissas baseadas numa questão relacionada às diferenças”, explica ele, que contou com a ajuda de uma consultora pedagógica da Universidade de São Paulo (USP) para escrever as histórias.

“Lupi e Baduki” já está disponível no streaming
“Lupi e Baduki” já está disponível no streaming | Foto: Divulgação

Animação no Brasil

Nesta quarta-feira, 19, Dia do Cinema Nacional, vale lembrar que além do sucesso em séries, a exemplo de "Irmão do Jorel" e "Cidade dos Piratas", a animação brasileira também se destaca no cinema, com produções premiadas e até indicadas ao Oscar como "O Menino e o Mundo", de Alê Abreu. Reynaldo tem projetos envolvendo longas.

“Estou escrevendo o roteiro de um longa chamado "Miguel e Juca" sobre um aprendiz de anjo da guarda cujo sonho é proteger crianças e seu encontro com um menino órfão à procura do pai aviador sumido”.

“Em outro projeto, estou pesquisando o uso de ferramentas de produção virtual para uma nova forma de produção de técnicas mistas, unindo personagens de animação renderizados em tempo-real interagindo com atores em live-action num set com tela de LED. Tenho também um projeto dos roteiristas Mabel Lopes [“Turma da Mônica Jovem”] e Pedro Aguilera [“3%”], chamado ‘Astronomeba’ sobre seres microscópicos que viajam numa espaçonave pelo ‘universo’, que na verdade é o quarto de uma criança. Todos estes sem previsão de lançamento”, completa ele, que descartou uma nova produção envolvendo o Sítio do Picapau Amarelo.

“São personagens fortes, divertidos e conhecidos do público, o que facilita muito na hora de convencer possíveis executivos de canais a considerarem investir em uma nova temporada. Mas, sendo sincero, se por um lado a familiaridade que desenvolvi com este universo facilitaria a minha atuação na produção de algo novo do Sítio, eu desejo mesmo é focar nos meus personagens e projetos pessoais com os temas da infância que me inspiram a criar”, pontua

E na Bahia? Reynaldo conta que já trocou experiências em Salvador com nomes como Amadeu Alban, Candida Luz Liberato, Toni Couto, Isabelle Santos e Michel Santos. “Eu ainda não coproduzi com estas pessoas, mas espero que isso aconteça logo. O Brasil precisa de mais coproduções de animação entre produtoras de todos os estados”, destacou ele, que falou sobre a necessidade de mais investimentos na animação.

“É preciso percorrer eventos e rodadas de negócios à procura de parceiros, distribuidores e exibidores. Como diria Lupi: ‘Vam'bora!’".

Assuntos relacionados

animação cinema brasileiro Cultura Educação Reynaldo Marchesini

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

animação cinema brasileiro Cultura Educação Reynaldo Marchesini

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

animação cinema brasileiro Cultura Educação Reynaldo Marchesini

Publicações Relacionadas

A tarde play
Animador tem 27 anos de experiência no mercado da animação
Play

Filme do Mamonas Assassinas está disponível; saiba onde assistir

Animador tem 27 anos de experiência no mercado da animação
Play

Última temporada de "Dom" chega ao Prime: "Intensa e visceral"

Animador tem 27 anos de experiência no mercado da animação
Play

Aviões do Forró rouba a cena no Festival de Cannes; assista

Animador tem 27 anos de experiência no mercado da animação
Play

Em vídeo, ator Terry Crews desafia Anderson Silva para luta; assista

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA