adblock ativo

Padre Pinto diz que agiu com base em "oração e pesquisa"

Publicado quarta-feira, 25 de janeiro de 2006 às 00:00 h | Atualizado em 25/01/2006, 00:00 | Autor: JORNAL A TARDE
adblock ativo

Da Agência Estado



Depois de ter cancelado uma exposição e sumido há uma semana, o padre José Pinto reapareceu em público na noite de ontem (23) na praça de Itaparica (BA), durante as comemorações dos 65 anos do escritor João Ubaldo Ribeiro. Ele não parece disposto a abdicar do estilo que escandalizou parte do clero baiano e surpreendeu o País.



Na festa dos Reis Magos, na sua paróquia da Lapinha, centro histórico de Salvador, no início do mês, padre Pinto rezou missa maquiado e fantasiado da orixá Oxum e saracoteou na nave da igreja "dando santo", entre outras estripulias.



Em recesso na Ilha de Itaparica após o episódio, o religioso disse estar mesclando rezas e meditações com "aulas de balé". Padre Pinto pretende esclarecer toda a situação com o cardeal-arcebispo de Salvador, dom Geraldo Majella Agnelo, em encontro marcado para esta semana. "Nada aconteceu à toa ou de uma forma superficial, mas todas as coisas foram fruto de oração e pesquisa", disse, informando que, se depender dele e da sua "pesquisa litúrgica", não se muda "nem um ponto". Entre outras "inovações", o padre foi de joelhos dar a hóstia a uma mãe-de-santo, vestiu-se de índio, encenou um balé dentro da igreja e fantasiou-se ainda de Rei Mago.



Padre Pinto deu a entender claramente que pretende enfrentar a cúpula da igreja baiana e insinuou que pode trocar de religião caso seja pressionado. Segundo ele, representantes de seitas telefonaram convidando-o a passar para outro time. "A Igreja Universal à disposição, a Igreja Internacional da Graça e outras igrejas têm ligado, mas a minha raiz é católica e a minha alegria é no catolicismo", disse.

adblock ativo

Publicações relacionadas