Caso Sara Mariano: veja depoimento completo e confissão dos suspeitos | A TARDE
Atarde > Bahia

Caso Sara Mariano: veja depoimento completo e confissão dos suspeitos

Ederlan Mariano, esposo de Sara Mariano, teria sido o mentor do assassinato

Publicado sexta-feira, 17 de novembro de 2023 às 09:23 h | Atualizado em 17/11/2023, 11:10 | Autor: Alessandro Isabel
Ederlan Mariano, esposo de Sara Mariano, teria sido o mentor do assassinato
Ederlan Mariano, esposo de Sara Mariano, teria sido o mentor do assassinato -

Os investigadores da delegacia de Dias D'Ávila, na Região Metropolitana de Salvador, conseguiram a confissão dos três suspeitos de participação no desaparecimento, morte e ocultação do cadáver da cantora gospel Sara Mariano. O depoimento que o Portal A TARDE teve acesso, traça todos os passos dados por Weslen Pablo Correia de Jesus, conhecido como Bispo Zadoque, Victor Gabriel Oliveira Neves e Gideão Duarte de Lima desde o planejamento até a execução do crime cometido, segundo o documento, no dia 24 de outubro, mesma noite em que a cantora gospel desapareceu. 

Depoimento do Bispo Zadoque

Weslen Pablo Correia de Jesus, conhecido como Bispo Zadoque
Weslen Pablo Correia de Jesus, conhecido como Bispo Zadoque |  Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com o Bispo Zadoque, ele e Victor participaram desde o início do planejamento e execução do crime. Ederlan Mariano, esposo de Sara Mariano, teria sido o mentor do assassinato. A motivação não foi informada.

De acordo com Zadoque, Ederlan pagou R$ 2 mil pela morte. O valor foi divido entre 4 pessoas: Gideão, motorista de aplicativo responsável por pegar Sara em casa e levar até o local da morte recebeu R$ 400,00. Victor, que teria segurado os braços da vítima, recebeu R$ 500. Zadoque ficou com R$ 900,00. E um quarto suspeito, que não participou do crime, mas teria conhecimento de toda ação, recebeu R$ 200,00 para permanecer calado. Esse suspeito seria um cantor da igreja onde todos frequentavam.

Ainda de acordo com Zadoque, a promessa de Ederlan era pagar mais R$ 15 mil para o grupo. O valor seria uma quantia que Sara Mariano teria recebido pelas participações em shows e eventos. Ederlan iria ter acesso ao dinheiro após a confirmação da morte da esposa. Zadoque também confessou participação na ocultação do cadáver que foi deixado em um matagal às margens da BA-093. A gasolina utilizada para tentar destruir o corpo, segundo o suspeito, foi comprada por Gideão um dia após o crime.

Depoimento de Victor

Victor Gabriel Oliveira Neves
Victor Gabriel Oliveira Neves |  Foto: Reprodução TV Bahia

Assim como Zadoque, Victor também confessou participação no planejamento, execução e ocultação do cadáver de Sara Mariano. No depoimento prestado na tarde desta quinta-feira, 16, Victor disse que Gideão levou ele e Zadoque para o local do crime e, logo em seguida, foi buscar Sara na casa da vítima, na Valéria, em Salvador.

Na BA-093, Gideão fingiu que o carro apresentou uma falha mecânica e parou o veículo às margens da rodovia. No local, ele e Zadoque abordaram Sara. O bispo, sozinho, levou a vítima para o matagal. Ainda de acordo com Victor, Sara entrou em luta corporal com Zadoque e começou a gritar. Victor informou que foi ao local e segurou os braços de Sara, foi quando o religioso desferiu golpes de faca que teriam provocado a morte da cantora.

Após o assassinato, os dois retornaram para o veículo, trocaram de roupa, e foram para a casa de Ederlan, onde entregaram o celular da vítima e receberam o dinheiro. Ainda de acordo com Victor, dois dias depois eles voltaram a se encontrar para ocultar o cadáver. A ordem teria sido feita por Ederlan após o desaparecimento ganhar repercussão na imprensa.

Depoimento de Gideão

Gideão Duarte de Lima
Gideão Duarte de Lima |  Foto: Arquivo pessoal

Diferente de Zadoque e Victor, Gideão disse em depoimento que soube que iria participar do assassinato de Sara Mariano no dia do crime. De acordo com o motorista, Zadoque fez o convite e ele aceitou. O motorista fez o transporte de Zadoque e Victor até o local do crime e depois foi buscar Sara, em Valéria. Ele confirmou que fingiu uma pane mecânica no veículo e pediu para que a vítima descesse do carro, momento em que ela foi abordada por Zadoque e Victor. Ele nega participação direta no assassinato. 

Após a morte, eles foram para a casa de Ederlan, em Valéria. Zadoque entregou o celular de Sara para Ederlan e Zadoque entregou o dinheiro para ele. Após sair de Valéria, eles foram até a rodoviária de Salvador e pegaram o quarto suspeito, que seria o cantor da igreja. Ele também não teria participação direta no assassinato, mas sabia do crime. Os quatro foram para a cidade de Camaçari, na Região Metropolitana. No caminho, Zadoque teria ordenado que eles parassem no local do crime para certificar que Sara estaria morta. Logo em seguida, ele deixou todos em um condomínio e seguiu para casa. Também devolveu o carro que pegou emprestado. 

Gideão confirma que no dia 26 de outubro, ele, Victor e Zadoque retornaram ao local do crime para tentar ocultar o cadáver. Eles compraram gasolina e Zadoque, na companhia de Victor tentou incendiar o corpo. Gideão nega que tenha participado do ato. Após a tentativa frustrada de ocultação, eles deixaram o local.

  • Caso Sara Mariano: veja depoimento completo e confissão dos suspeitos
    |
  • Caso Sara Mariano: veja depoimento completo e confissão dos suspeitos
    |
  • Caso Sara Mariano: veja depoimento completo e confissão dos suspeitos
    |
  • Caso Sara Mariano: veja depoimento completo e confissão dos suspeitos
    |

Investigação:

Após investigação da Polícia Civil, o Ministério Público solicitou e a Justiça acatou as prisões de Ederlan Mariano, Bispo Zadoque e Gideão Duarte. Mesmo confessando o crime, Victor Gabriel prestou depoimento mas foi liberado. Ainda não existe um pedido de prisão para ele. Ederlan aguarda o resultado das investigações preso no Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador. Ele não assumiu ser o mentor do assassinato.

Uma fonte do Portal A Tarde informou que o quinto suspeito deve prestar depoimento nos próximos dias. A polícia quer saber se existem outros envolvidos de forma direta ou indireta no crime. A expectativa da Polícia Civil é  deque outros nomes possam surgir e devam comparecer na delegacia.

Leia Mais:

>> Pai de 4º suspeito na morte de Sara Mariano diz que filho "vai pagar"

>> Quarto suspeito assume participação na morte de Sara Mariano

>> Mais duas novas pessoas podem ser presas pela morte de Sara Mariano

Relembre o caso

A pastora Sara Mariano foi vista pela última vez com vida na noite do dia 24 de outubro, ao deixar a casa da família. Na época, Ederlan Mariano chegou a registrar o boletim de ocorrência pelo desaparecimento da esposa, e afirmou que ela tinha saído com destino a eventos religiosos, mas alegou não saber quais.

Três dias após o desaparecimento, no dia 27 de outubro, o corpo dela foi encontrado carbonizado, em uma área de mata às margens da BA-093, na região de Dias D'Ávila, cidade da Região Metropolitana de Salvador.

O marido da cantora, Ederlan Santos Mariano, foi preso na madrugada do dia 28 de outubro, após confessar ter cometido o crime. O corpo de Sara Mariano foi sepultado no dia 30 de outubro, em Salvador, sob forte comoção de amigos e familiares.

Já no dia 1º de novembro, Ederlan foi transferido para o Complexo Penitenciário da Mata Escura, onde segue preso por prisão temporária de 30 dias.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS