Lázaro Barbosa fez cursos de empatia e sexualidade durante tempo na prisão

Publicado sexta-feira, 18 de junho de 2021 às 12:03 h | Atualizado em 19/11/2021, 12:17 | Autor: Da Redação

Foragido em uma caçada que já dura 10 dias, Lázaro Barbosa tem um longo histórico criminal. Quatro anos após cumprir pena por crimes de roubo e estupro praticados em 2009, no Distrito Federal, ele participou de cursos para ressocialização, no Complexo Penitenciário da Papuda. As informações são do G1.

Antes de passar do regime fechado para o semiaberto, em 2014, Lázaro fez cursos de "empatia, sexualidade e para se colocar no lugar das vítimas". Ele recebeu atestado de "bom comportamento".

O relatório indica que após deixar a penitenciária e passar para o Centro de Internamento e Reeducação (CIR) do presídio, Lázaro "trabalhou as temáticas relativas à Lei Maria da Penha e Estatuto da Criança e do Adolescente; sexualidade saudável e parafilias (fantasias sexuais)".

Lázaro foi preso no Distrito Federal pelos crimes de estupro e roubo cometidos em 2009. Ele foi condenado a 12 anos, 8 meses e 19 dias de reclusão. Três anos depois participou dos cursos e conseguiu progressão da pena para o regime semiaberto, conseguindo benefícios externos, como o direito ao trabalho.

O foragido então foi beneficiado com trabalho externo e transferido para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP) em 26 de janeiro de 2016, mas fugiu dois meses depois. Ele foi recapturado em março de 2018 na Bahia, mas fugiu em julho ao abrir um buraco no teto.

A caçada

Lázaro Barbosa Sousa, suspeito de ter assassinado uma família em uma chácara em Ceilândia, no Distrito Federal, baleado fazendeiros, ter feito uma família de refém mobiliza equipes das polícias civil e militar da capital federal e de Goiás, além da Polícia Federal em uma caçada que já dura 10 dias. Nas redes socias, o caso ganhou fama como "serial killer em Brasília", mas a polícia afirma que não trabalha com essa nomenclatura.

De acordo com informações da Polícia Civil do Distrito Federal, na madrugada da quarta-feira, 9, Lázaro teria assassinado uma família em Ceilândia. O empresário Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, e os filhos dele, Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, e Gustavo Marques Vidal, 21, foram encontrados mortos em uma chácara. A esposa de Vidal, Cleonice Marques, 43, foi sequestrada, e seu corpo foi encontrado na tarde de sábado em um córrego próximo.

O suspeito passou os dias seguintes cometendo crimes. Invadiu fazendas, baleou outras pessoas, roubou um carro, armas e munições. Já em Goiás, na última terça-feira, 15, Lázaro fez refém um casal e a filha de 16 anos. A família foi resgatada, mas durante as buscas dois policiais foram baleados de raspão e conduzidos para hospitais goianos com ferimentos leves.

A operação que conta com um efetivo de mais de 200 policiais segue em perseguição a Lázaro Barbosa Sousa. Ele tem 32 anos e nasceu em Barra do Mendes, na Bahia. Seus primeiros assassinatos ocorreram quando ele ainda tinha 19 anos de idade. Sua ficha criminal inclui ainda estupros, roubo, latrocínio e porte ilegal de arma de fogo.

Publicações relacionadas