Manifestantes com faixa 'Bolsonaro genocida' são detidos pela PM

Publicado quinta-feira, 18 de março de 2021 às 15:19 h | Atualizado em 18/03/2021, 15:22 | Autor: Da Redação

A Polícia Militar do Distrito Federal deteve e levou para a Polícia Federal (PF) quatro manifestantes que estavam com uma faixa "Bolsonaro genocida" nesta quinta-feira, 18, na Esplanada dos Ministérios. A justificativa para a apreensão foi a Lei de Segurança Nacional.

Deputados do PT estão na Superintendência da PF para cobrar explicações e acompanhar o caso. Entre os detidos, estão os responsáveis pelo canal de esquerda Botando Pilha, entre eles o criador do site, o ativista Rodrigo Pilha.

Casos de repressão entre quem critica e chama o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida têm se espalhado pelo pais. Outros episódios foram o processo aberto pelo Ministério da Educação e pela Controladoria-Geral da União contra dois professores de universidade federais que criticaram o presidente e os inquéritos abertos pela Polícia Federal contra jornalistas.

Hélio Schwartsman, da Folha de S.Paulo, Ricardo Noblat, da revista Veja, e o chargista Renato Aroeira foram alvos de investigações da PF, relata a coluna do Guilherme Amado, na Época.

No Rio de Janeiro, um delegado abriu um inquérito a pedido de Carlos Bolsonaro contra Felipe Neto por suposta infração da Lei de Segurança Nacional. Contra o youtuber o o caso foi suspenso por uma decisão judicial.

Publicações relacionadas