Mulher que teve relações com morador de rua está em tratamento

Ex-marido diz que ela está sem internet e TV e que história surpreendeu a todos

Publicado segunda-feira, 21 de março de 2022 às 14:37 h | Atualizado em 21/03/2022, 14:43 | Autor: Da Redação
Eduardo fez um apelo para que a situação não seja tratada como um episódio de traição, mas sim de abuso sexual.
Eduardo fez um apelo para que a situação não seja tratada como um episódio de traição, mas sim de abuso sexual. -

A história de Eduardo Alves, sua esposa Sandra Mara e o morador de rua de 48 anos, envolvidos na polêmica da última semana, segue sendo investigada pela Polícia Civil em sigilo, de acordo com o delegado Diogo Cavalcante, da 16ª DP de Planaltina,

Até o momento, Eduardo segue sem ser indiciado por agressão e o homem em situação de rua sem responder por violência sexual contra Sandra – versão defendida pelo companheiro da vendedora. A autoridade responsável afirmou que, em momento oportuno, irá se manifestar sobre o caso.

Em entrevista ao O Globo na última sexta-feira,18, Cleyton Costa, professor de educação física e ex-marido de Sandra, afirmou que a vendedora é uma ótima mãe e que não merecia estar passando por isso. Ele contou ainda que tem evitado comentar sobre o assunto. 

"Isso pegaria qualquer um que a conhece de surpresa. A Sandra é uma pessoa de coração muito bom, sempre ajudou a família dela e quando fomos casados ela também se uniu à minha família. Isso o que aconteceu (um possível surto psicótico) provavelmente foi por ela ser uma pessoa muito emotiva, mas somente um médico pode explicar melhor", disse o educador físico.

Cleyton conta que Eduardo, atual companheiro de Sandra, é quem está cuidando do tratamento da mulher e da questão policial. Também afirmou que ainda não teve contato direto com a ex-mulher e revela um temor que há sobre uma possível recaída em seu estado psicológico quando ficar sabendo da proporção que a história tomou.

Em pronunciamento, Eduardo fez um apelo para que a situação não seja tratada como um episódio de traição, mas sim de abuso sexual. Veja:

Publicações relacionadas