Paciente de anestesista preso por estupro toma coquetel anti-HIV

Os efeitos colaterais da medicação fizeram com que ela precisasse interromper a amamentação

Publicado quinta-feira, 14 de julho de 2022 às 10:07 h | Atualizado em 14/07/2022, 10:07 | Autor: Da Redação
Quintella foi preso nesta segunda-feira, 11
Quintella foi preso nesta segunda-feira, 11 -

Uma das pacientes do anestesista Giovanni Quintella Bezerra, preso por estupro durante uma cesárea, foi orientada a utilizar o coquetel anti-HIV/Aids para evitar qualquer contaminação caso também tenha sido vítima de abuso. Os efeitos colaterais da medicação fizeram com que ela precisasse interromper a amamentação. 

Os advogados da paciente solicitaram que Giovanni fizesse o exame para saber se ele é portador do vírus HIV, mas ele não é obrigado a isso. A paciente não é a mesma do flagrante que confirmou a prática criminosa e levou Giovanni à prisão. 

A delegada Bárbara Lomba, que está à frente do caso, conversou nesta quarta-feira, 13, com a paciente que aparece no vídeo feito pela equipe de enfermagem. A vítima tem tido sua identidade preservada. 

“Ela chorou muito. Ainda está muito abalada. A família toda está abalada”, disse a delegada. Bárbara também afirmou que Giovanni é “um criminoso em série”. “Diante da repetição das ações criminosas, das características de compulsividade que se observam e da possibilidade de várias vítimas feitas naquelas condições, podemos afirmar que se trata de um criminoso em série”, contou.

Publicações relacionadas