adblock ativo

“Vacinas aprovadas não induzem a doença”, diz presidente da Anvisa sem citar Bolsonaro

Publicado às | Atualizado em 27/10/2021, 13:43 | Autor: Redação
Barra Torres rebateu fala de Bolsonaro que associou a vacina contra a Covid19 a Aids
Barra Torres rebateu fala de Bolsonaro que associou a vacina contra a Covid19 a Aids -
adblock ativo

O presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra Torres, rebateu, nesta quarta-feira, 27, em reunião da diretoria colegiada da agência, a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que associa vacinas contra a Covid-19 a Aids.

"As vacinas aprovadas pela Anvisa não induzem a nenhuma doença. Não aumentam a sua propensão a ter nenhuma doença", disse Barra Torres.

Responsável por aprovar o uso das vacinas e de qualquer medicamento no Brasil, para dar o aval, a Anvisa faz uma série de análise de segurança, eficácia e qualidade com base em estudos clínicos, dados de fabricação, entre outras informações.

Na quinta-feira (21), em sua live semanal, Bolsonaro citou "relatórios oficiais do governo do Reino Unido" segundo os quais pessoas totalmente vacinadas estariam "desenvolvendo a Síndrome da Imunodeficiência Adquirira [Aids] mais rápido do que o previsto".

No vídeo - retirado do Facebook, do Instagram e também do YouTube, - o presidente afirma que só daria a notícia e que não a comentaria. "Portanto, leiam a matéria, não vou ler aqui porque posso ter problema com a minha live. Não quero que caia a live aqui, quero dar informação", disse.

Barra Torres não citou a fala de Bolsonaro ou o nome do mandatário. A declaração do presidente da Anvisa, porém, foi uma resposta a falsa associação feita pelo presidente.

"Vamos manter a tradição do nosso povo brasileiro de aderir ao PNI (Programa Nacional de Imunizações), que é um motivo de orgulho do nosso país", disse o chefe da Anvisa.

adblock ativo

Publicações relacionadas