3ª dose de vacina não impede Ômicron, diz estudo

Ômicron conseguiu infectar mesmo pessoas que receberam três doses

Publicado sexta-feira, 10 de dezembro de 2021 às 13:55 h | Atualizado em 10/12/2021, 13:54 | Autor: Da Redação

Três doses de vacina contra a Covid-19 não impedem a infecção pela variante Ômicron, segundo apontou um estudo sul-africano publicado nesta quinta-feira, 9. A publicação avaliou os efeitos de diferentes imunizantes em estudo no 'mundo real', ou seja, diferente de ensaios clínicos controlados em laboratório.

Segundo o estudo, a Ômicron conseguiu infectar mesmo pessoas que receberam três doses. Foram examinados os comportamentos de imunizantes como o da Pfizer/BioNTech ou da Moderna, além de uma dose da vacina Oxford/AstraZeneca e duas doses da Pfizer.

No estudo foram investigados sete paientes com idade média de 27,7 anos, que tinham viajado da Alemanha até a Cidade do Cabo, na África do Sul. Seis deles haviam recebido a vacinação primária da Pfizer/BioNTech e destes, cinco tomaram um reforço vacinal do mesmo imunizante e um o da Moderna.

Eles testaram negativo para a Covid e ficaram em isolamento. Dias depois todos alegaram sintomas gripais, realizaram novo teste e retornaram ao isolamento. Ao final da observação, cinco deles tiveram a Ômicron detectada após sequenciamento genômico. Nenhum caso foi considerado grave.

Na quarta-feira, 8, a Pfizer e a BioNTech divulgaram um estudo que afirmava que a terceira dose do imunizante apresentara 25 vezes mais anticorpos e seria eficaz contra a variante.

No mesmo dia, Albert Bourla, CEO da farmacêutica, já havia pontuado que a necessidade de quarta dose do imunizante para conter a Ômicron já estava em análise.

Publicações relacionadas