Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > ECONOMIA
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
10/04/2024 às 12:35 - há XX semanas | Autor: Agência Brasil

Planos de saúde, tomate e cebola influenciam inflação de março

Açaí (14,20%) e alho (7,90%) têm altas expressivas, revela pesquisa

O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85%
O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85% -

As altas de preços dos planos de saúde, do tomate e da cebola foram os principais responsáveis pela inflação de 0,16% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em março deste ano, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 10, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em fevereiro, a inflação foi de 0,83%.

O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85%. Outro alimento que também teve aumento expressivo foi a banana prata (7,79%).

“Esses três produtos tiveram altas em março influenciadas por uma menor oferta. A gente tem uma questão histórica do aumento dos preços dos alimentos no verão, por conta de altas temperaturas e altos índices de chuvas [que prejudicam as colheitas]. Em 2024, esse efeito foi intensificado por conta do El Niño”, explica o pesquisador do IBGE, André Almeida.

Leia mais

>> Inflação oficial recua para 0,16% em março, diz IBGE

Açaí (14,20%), alho (7,90%), mamão (6,40%), laranja pera (5,49%), ovo de galinha (4,59%), leite longa vida (2,63%) e refrigerante e água mineral (1,23%) completam a lista dos dez itens alimentícios com maiores altas de preços.

Causas

Esses aumentos puxaram a inflação dos alimentos no mês (0,53%) e foram alguns dos principais responsáveis pelo IPCA de março. Apesar disso, o grupo alimentação e bebidas teve uma redução em sua taxa em relação a fevereiro, quando havia sido registrado um índice de 0,95%.

Outro item que teve contribuição relevante para a alta de preços de março foi o dos planos de saúde. Ele variou 0,77% no mês. “Isso se refere à apropriação mensal do reajuste autorizado pela ANS [Agência Nacional de Saúde Suplementar]”, avalia Almeida.

O grupo saúde e cuidados pessoais teve inflação de 0,43%, resultado influenciado também pela alta dos produtos farmacêuticos (0,52%).

O grupo transportes anotou deflação (queda de preços) de 0,33% e ajudou a frear a inflação oficial como um todo, porque o IPCA recuou de 0,83% em fevereiro para 0,16% em março.

A queda de 9,14% das passagens aéreas foi um dos itens que mais contribuíram para o recuo da taxa de inflação no mês. O gás veicular (-2,21%), o óleo diesel (-0,73%) e a tarifa do ônibus urbano (-0,06%) também tiveram deflação.

Comunicação (-0,13%) e artigos de residência (-0,04%) foram outros grupos de despesa com deflação em março. O item educação, que tinha sido o grande responsável pela inflação de fevereiro, com uma taxa de 4,98%, em março acusou uma taxa de apenas 0,14%, também contribuindo para a queda do IPCA.

Os demais grupos de despesas apresentaram as seguintes taxas de inflação: habitação (0,19%), vestuário (0,03%) e despesas pessoais (0,33%). Entre as capitais e regiões metropolitanas, a maior alta de preços foi observada em São Luís (0,81%). Porto Alegre foi a única a apresentar deflação (-0,13%).

Assuntos relacionados

Agência Nacional de Saúde Suplementar alimentos Alimentos no verão Altas de preços capitais Cebola Despesas pessoais Educação El Niño Gás veicular habitação ibge Inflação ipca março óleo diesel passagens aéreas planos de saúde Porto Alegre Produtos farmacêuticos Reajuste de planos de saúde Regiões metropolitanas São Luís Tarifa do ônibus urbano Tomate vestuário

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

Agência Nacional de Saúde Suplementar alimentos Alimentos no verão Altas de preços capitais Cebola Despesas pessoais Educação El Niño Gás veicular habitação ibge Inflação ipca março óleo diesel passagens aéreas planos de saúde Porto Alegre Produtos farmacêuticos Reajuste de planos de saúde Regiões metropolitanas São Luís Tarifa do ônibus urbano Tomate vestuário

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

Agência Nacional de Saúde Suplementar alimentos Alimentos no verão Altas de preços capitais Cebola Despesas pessoais Educação El Niño Gás veicular habitação ibge Inflação ipca março óleo diesel passagens aéreas planos de saúde Porto Alegre Produtos farmacêuticos Reajuste de planos de saúde Regiões metropolitanas São Luís Tarifa do ônibus urbano Tomate vestuário

Publicações Relacionadas

A tarde play
O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85%
Play

Chefe Dani Façanha mostra como fazer siri de forma sofisticada

O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85%
Play

Shopping abre às 6h e recebe grande movimento em Salvador; veja

O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85%
Play

Feira Baiana de Agricultura Familiar terá produtos de diversas regiões

O preço da cebola cresceu 14,34% no mês e o do tomate, 9,85%
Play

Sites ajudam consumidores a economizar na hora da compra; veja vídeo

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA