adblock ativo

Veja 10 habilidades que o mercado de trabalho espera do profissional

Publicado domingo, 08 de abril de 2018 às 13:07 h | Atualizado em 08/04/2018, 13:22 | Autor: Thiago Conceição*
Guerreiro aponta o pensamento crítico como uma de suas habilidades
Guerreiro aponta o pensamento crítico como uma de suas habilidades -
adblock ativo

“Disciplina e pensamento crítico”, esta é a resposta que o tecnólogo Ricardo Guerreiro, de 33 anos, profere quando é questionado sobre as suas principais competências profissionais. O pensamento crítico do tecnólogo faz parte das 10 habilidades que devem ser desenvolvidas por quem procura melhor posição no mercado de trabalho, indicou a Universidade Braz Cubas, em consulta feita com 30 grandes empresas do país.

As outras nove competências foram definidas em solução de problemas, trabalho em grupo, facilidade em comunicação, criatividade, iniciativa, instrução, liderança, inteligência emocional e capacidade de negociação. No escritório da Inovit – Consultoria e Soluções em TI, na Pituba, a rotina de trabalho de Ricardo exige a constante atualização e aprimoramento dessas qualidades.

“Como trabalho com a administração de dados dos clientes que buscam soluções em TI, fica evidente que preciso desenvolver habilidades como uma boa comunicação, conhecimento técnico, senso crítico.  Essas características contribuem para o meu espaço no mercado”, conta Guerreiro.

Competência por setor

As dez competências especificadas pela consulta da Braz Cubas se expande por diferentes áreas profissionais, além da tecnológica. No setor da administração empresarial, elas são mencionadas por empresas que atuam em diferentes segmentos no país, da construção civil ao financeiro.

“A ideia inicial da consulta foi saber quais os perfis mais procurados pelas empresas quando se trata da atuação na área administrativa. As habilidades selecionadas foram dadas por grandes negócios de setores, como  financeiro, automobilístico, celulose, construção civil”, diz José Maria Silva Junior, porta-voz da Braz Cubas.

Dentro do universo da administração, Silva Junior destaca que a preponderância de determinada aptidão, mesmo que momentaneamente, vai depender do segmento no qual o profissional atua. No financeiro, a capacidade de negociação pode ser o ponto mais valorizado; na construção civil, a criatividade.

Na análise geral das empresas, o porta-voz destaca que 80% dos negócios consultados mencionaram a capacidade em solucionar problemas como uma das qualificações desejadas. Para Gabriela Branco, analista de recursos humanos da Guapo RH, a busca por essa e outras habilidades faz com que o profissional de nível de ensino superior ganhe espaço no mercado de trabalho.

“As pessoas que têm nível superior conseguem mais espaços em áreas administrativas. O setor de administração tem a tendência de acolher profissionais com diferentes formações, do segmento de engenharia ao de saúde”, conta a analista.

Contratações arriscadas

O cenário econômico do país ainda é instável e não permite contratações arriscadas, afirma Gabriela. A contratação arriscada à qual a analista se refere é aquela em que o profissional não se adapta ao tipo de função exercida. No atual modelo do mercado de trabalho, Gabriela reforça que o profissional que busca uma oportunidade tem que saber explorar diferentes habilidades.

“Na Guapo, por exemplo, a gente faz o aproveitamento de habilidades. Se o profissional da área financeira tem experiência trabalhando com clientes, ele passa a ter contato com clientes. É importante usar as suas aptidões”, diz Gabriela.

*Sob supervisão da editora Cassandra Barteló

adblock ativo

Publicações relacionadas