Biden responsabiliza Putin e seus 'criminosos' da morte de Navalny | A TARDE
Atarde > Mundo

Biden responsabiliza Putin e seus 'criminosos' da morte de Navalny

Para o presidente dos Estados Unidos, o opositor russo Navalny era um defensor da verdade.

Publicado sexta-feira, 16 de fevereiro de 2024 às 19:49 h | Autor: AFP
O presidente dos Estados Unidos fala sobre a morte do opositor russo Alexei Navalny
O presidente dos Estados Unidos fala sobre a morte do opositor russo Alexei Navalny -

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou, nesta sexta-feira, 16, que o presidente russo, Vladimir Putin, e seus "criminosos" são responsáveis pela morte do opositor russo Alexei Navalny na prisão.

"Não sabemos exatamente o que aconteceu", mas, em última instância, é culpa de Putin e seus "criminosos", declarou o presidente americano, que disse estar "indignado".

"Não se enganem, Putin é o responsável pela morte de Navalny. Putin é responsável", acrescentou durante um discurso na Casa Branca.

"O que aconteceu com Navalny é mais uma prova da brutalidade de Putin. Ninguém deve se deixar enganar".

Biden disse que estava "avaliando opções" sobre uma resposta, mas não foi além disso.

Perguntado em 2021, após um encontro com Putin na Suíça, sobre o que aconteceria se Navalny morresse, Biden declarou: "Deixei claro para ele que acredito que as consequências disso seriam devastadoras para a Rússia".

O presidente americano deu seus pêsames à esposa e aos filhos do opositor ao Kremlin.

Para Biden, Navalny era um defensor da verdade.

"Até mesmo na prisão ele foi uma voz poderosa para a verdade", ressaltou. "Que Deus abençoe Alexei Navalny, sua coragem não será esquecida".

As autoridades russas informaram que Navalny morreu nesta sexta-feira em uma prisão no Ártico, um mês antes das eleições que podem prolongar a hegemonia de Putin no poder.

A morte de Navalny, depois de três anos de detenção e um envenenamento do qual ele culpou o Kremlin, priva a oposição russa de seu rosto visível em um momento de intensa repressão e em plena campanha militar de Moscou na Ucrânia.

O democrata disse que a morte de Navalny recorda a necessidade de que os republicanos da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos deixem de bloquear um pacote de ajuda para a Ucrânia, em guerra após ser invadida pela Rússia há quase dois anos.

"Essa tragédia nos recorda o que está em jogo neste momento", disse Biden. "Temos que proporcionar o financiamento para que a Ucrânia possa seguir se defendendo do ataque violento de Putin e de seus crimes de guerra".

Em seu pronunciamento, o democrata ressaltou a importância das preocupações com uma arma antissatélite que, segundo a Casa Branca, a Rússia está desenvolvendo. No entanto, a tecnologia não pressupõe "nenhuma ameaça nuclear" para os Estados Unidos nem para nenhum outro país, afirmou o presidente.

Biden também prometeu que Washington cumprirá com seu "compromisso sagrado" com a Otan, em um momento em que os aliados temem uma mudança de posição caso o republicano Donald Trump vença as eleições de novembro.

O presidente qualificou de "perigosas" as declarações de Trump, que disse que estimularia a Rússia a atacar os países da Otan, caso eles não cumpram com seus compromissos financeiros.

"De Truman em diante, estão se retorcendo nos túmulos ao ouvir isso", disse Biden, referindo-se ao presidente Harry Truman, que fez com que os Estados Unidos fossem membro fundador da aliança em 1949.

Publicações relacionadas