Professores nos EUA passam a portar armas para conter massacres

Estudos apontam poucas evidências de que armar professores possa combater problema, mas medida se torna popular

Publicado segunda-feira, 01 de agosto de 2022 às 14:03 h | Atualizado em 01/08/2022, 14:02 | Autor: Da Redação
Embora os poucos estudos sobre o assunto apontem poucas evidências de que armar professores possa combater o problema com eficácia, a medida se torna cada vez mais popular
Embora os poucos estudos sobre o assunto apontem poucas evidências de que armar professores possa combater o problema com eficácia, a medida se torna cada vez mais popular -

Os massacres ocorridos em escolas nos Estados Unidos têm sido a justificativa para muitos professores passarem a portar armas de fogo em sala de aula. 

Com cursos de tiro de 26 horas e armamentos como pistola 9 mm, os docentes tentam proteger seus alunos, alguns deles alegando “impotência” diante da situação que já perdura há muitos anos no país.

Pelo menos 29 estados no país autorizam pessoas que não sejam policiais ou agentes de segurança a portarem armas em escolas, aponta a Conferência Nacional de Legislaturas Estaduais. 

Na última pesquisa estatística feita sobre o assunto, em 2018, 2,6% das escolas públicas dos Estados Unidos tinham professores armados. Se estima que o percentual seja maior de lá para cá.

Embora os poucos estudos sobre o assunto apontem poucas evidências de que armar professores possa combater o problema com eficácia, a medida se torna cada vez mais popular, com incentivo de republicanos e defensores dos direitos ao armamento dos civis.

Publicações relacionadas