Téo Senna pede cassação do mandato de Átila do Congo após bate-boca | A TARDE
Atarde > Política > Bahia

Téo Senna pede cassação do mandato de Átila do Congo após bate-boca

Parlamentares protagonizaram uma briga durante reunião conjunta da CCJ e do CFOF na última segunda, 14

Publicado quarta-feira, 16 de agosto de 2023 às 18:37 h | Atualizado em 22/08/2023, 19:28 | Autor: Gabriela Araújo

O vereador Téo Senna (PSDB) acionou o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Salvador (CMS), presidido pelo vereador Alexandre Aleluia (PL), para pedir a cassação do mandato do colega de Parlamento, Átila do Congo (Patriota). 

Na última segunda-feira, 14, os parlamentares protagonizaram um fervoroso bate-boca durante reunião conjunta das Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Orçamento (CFOF), sendo este o motivo que gerou o pedido. A briga entre os vereadores iniciou após o tucano apresentar parecer contrário aos projetos do colega no colegiado. 

"Se você não fosse velho, eu te quebraria na porrada", disse Átila, no momento da confusão. "O mesmo disse que vetava os projetos porque o prefeito Bruno Reis ia vetar mesmo, o que é uma inverdade. O mesmo faltou com a verdade e não se comportou como um parlamentar", comentou na sessão da segunda. 

A discussão entre os edis vai além da CMS, de acordo com fontes da Casa, Téo Senna também deve apresentar uma queixa-crime contra Do Congo. 

Veja briga: 


Pedido de desculpas

Durante sessão ordinária desta quarta-feira, 16, o vereador Átila do Congo (Patriota), contudo, usou o púlpito da CMS para pedir desculpas a todos os colegas, incluindo o tucano. Na oportunidade, o parlamentar afirmou que a atitude foi incentivada pelos vereadores Isnard Araújo (PL) e Claudio Tinoco (União Brasil), que 'puxou a sua orelha' e o aconselhou ao indulto. 

"Ouvindo o conselho do meu amigo-irmão, Isnard Araújo, queria aqui pedir a essa Casa, desculpas pelo fato ocorrido na reunião. [...]. A gente fica com os ânimos acirrados. Eu sou uma pessoa temperamental. [...]", comentou.

"Independente de quem começou a confusão ou não, aqui eu falo por mim, ao vereador Téo Senna. Peço desculpas se magoei ou feri com palavras. Independente de quem foi o primeiro erro, eu acredito que acontece, é da vida. Acredito que ele quer melhor para nossa cidade e essa Casa", completou.  

No momento do pedido, Téo Senna não estava presente no plenário Cosme de Farias. Procurado pelo portal A TARDE, o parlamentar preferiu não comentar o assunto. 

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS