Lira manobra e permite registro remoto para votar PEC 'Kamikaze'

Devido a falhas técnicas, sessão havia sido suspensa ontem

Publicado quarta-feira, 13 de julho de 2022 às 13:04 h | Atualizado em 13/07/2022, 13:04 | Autor: Da Redação
Lira defendeu sua decisão
Lira defendeu sua decisão -

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), fez uma manobra na manhã desta quarta-feira, 13, para garantir a sessão que vai apreciar a PEC Eleitoral, que prevê um gasto de R$ 41,2 bilhões até o fim do ano. A medida foi aprovada em primeiro turno ontem na Câmara, mas a sessão foi suspensa por falhas técnicas quando os deputados iriam votar um destaque sensível para o governo.

Lira tentou reabrir a sessão interrompida ontem para garantir que haveria quórum para a votação, mas, diante de pedidos da oposição e do partido Novo para que a sessão fosse interrompida, já que o regimento prevê suspensão de sessões por no máximo uma hora, Lira encerrou a sessão, convocou uma nova, no entanto baixou um ato da Mesa para assegurar que deputados que já saíram de Brasília possam garantir o quórum, permitindo o registro remoto de presença.

Essa modalidade só pode ocorrer às segundas e sextas, permitindo que deputados que estiverem fora de Brasília possam votar e marcar presença.

Nesta manhã, Lira defendeu sua decisão. “Não houve outro interesse a não ser preservar o funcionamento do Poder Legislativo. Nossa intenção foi de preservar uma possibilidade regimental para que os deputados pudessem expressar a sua vontade”, afirmou.

Publicações relacionadas