Moro vira réu em ação do PT que propõe ressarcimento ao erário

Deputados da legenda alegam que “distúrbio na Petrobras” causou prejuízos ao país

Publicado terça-feira, 24 de maio de 2022 às 09:32 h | Atualizado em 24/05/2022, 09:32 | Autor: Da Redação
Sérgio Moro se defendeu em nota ao alegar que “a gestão desastrosa do PT quase quebrou a Petrobras e o país. O que prejudicou a economia e eliminou empregos foi a corrupção, e não o combate a ela”
Sérgio Moro se defendeu em nota ao alegar que “a gestão desastrosa do PT quase quebrou a Petrobras e o país. O que prejudicou a economia e eliminou empregos foi a corrupção, e não o combate a ela” -

O juiz Charles Renaud Frazão de Morais recebeu a inicial de uma ação em que deputados do PT pedem que o ex-juiz federal Sérgio Moro seja condenado a ressarcir os cofres públicos. Como a ação está em curso, Moro agora é réu, mas os petistas não estipularam o valor da indenização a ser pago em caso de condenação.

A ação judicial foi apresentada no dia 27 do último mês e foi enviada à 2ª Vara Federal Cível de Brasília.  Em um dos trechos, consta a acusação de que “o ex-juiz Sergio Moro manipulou a maior empresa brasileira, a Petrobras, como mero instrumento útil ao acobertamento dos seus interesses pessoais" e que “o distúrbio na Petrobras afetou toda a cadeia produtiva e mercantil brasileira, principalmente o setor de óleo e gás”. Os deputados que fazem parte da iniciativa são Rui Falcão (SP), Erika Kokay (DF), Natália Bonavides (RN), José Guimarães (CE) e Paulo Pimenta (RS). 

Sérgio Moro, por sua vez, se defendeu em nota ao alegar que “a gestão desastrosa do PT quase quebrou a Petrobras e o país. O que prejudicou a economia e eliminou empregos foi a corrupção, e não o combate a ela”. 

No ano passado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve suas condenações na Lava Jato anuladas pelo STF e se tornou novamente elegível. 

Publicações relacionadas