Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > política > BRASIL
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
28/08/2023 às 21:49 • Atualizada em 28/08/2023 às 22:33 - há XX semanas | Autor: Da Redação

EX-MINISTRO DO MEIO AMBIENTE

Ricardo Salles vira réu em ação que apura exportação ilegal de madeira

Ex-presidente do Ibama Eduardo Bim e outros servidores também foram denunciados pelo MPF

As investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais"
As investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais" -

O deputado federal e ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (PL-SP), se tornou réu em uma ação da Justiça Federal que apura um esquema de exportação ilegal de madeira. O ex-presidente do Ibama Eduardo Bim e outros servidores também foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF).

Segundo a denúncia do MPF, as investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais", com envolvimento de Salles, além de servidores públicos e agentes do setor madeireiro. O MPF elencou uma série de apreensões de madeira de origem brasileira apreendidas nos Estados Unidos, que estavam sem a documentação necessária para exportação.

Após as apreensões, um conjunto de empresas do setor madeireiro buscaram apoio junto a dois servidores do Ibama, incluindo o superintendente do órgão no Pará. De acordo com o MPF, os servidores do Ibama emitiram certidões e um ofício sem valor jurídico cujo objetivo era liberar a madeira apreendida. No entanto, a documentação não foi aceita pelas autoridades norte-americanas, "em razão da evidente ilegalidade".

Ainda segundo a denúncia, em fevereiro de 2020, Ricardo Salles se encontrou com representantes de empresas envolvidas no suposto esquema, além de parlamentares, para uma reunião sobre exportação de madeiras ativas do Estado do Pará.

Segundo a investigação, "a mais alta cúpula do Ministério do Meio Ambiente e a alta direção do Ibama manipularam pareceres normativos e editaram documentos para, em prejuízo do interesse público primário, beneficiar um conjunto de empresas madeireiras e empresas de exportação que tiveram cargas de madeira apreendidas nos Estados Unidos".

A denúncia cita ainda a Operação Akuanduba, deflagrada pela Polícia Federal em maio de 2021 para apurar a suspeita de facilitação à exportação ilegal de madeira do Brasil para os EUA e Europa. A ação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e cumpriu 35 mandados de busca e apreensão que resultou no afastamento de servidores do Ministério do Meio Ambiente e do Ibama.

Assuntos relacionados

justiça madeira réu Ricardo Salles venda ilegal

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

justiça madeira réu Ricardo Salles venda ilegal

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

justiça madeira réu Ricardo Salles venda ilegal

Publicações Relacionadas

A tarde play
As investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais"
Play

Bolsonaro chora durante evento conservador; veja

As investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais"
Play

Bolsonaro e Milei assistem juntos derrota do Brasil na Copa América

As investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais"
Play

Jerônimo Rodrigues assina acordo de compra dos trens do VLT

As investigações apontam que existe um "grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais"
Play

Vídeo: Senador e deputado trocam ofensas e empurrões em aeroporto

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA