Delegado preso por morte de Marielle assumiu PC na véspera do crime | A TARDE
Atarde > Política

Delegado preso por morte de Marielle assumiu PC na véspera do crime

Sua nomeação foi por convite do então Interventor Federal, o General Walter Braga Netto

Publicado domingo, 24 de março de 2024 às 09:54 h | Atualizado em 24/03/2024, 10:01 | Autor: Da Redação
Delegado Rivaldo Barbosa, um dos suspeitos de mandar matar Marielle
Delegado Rivaldo Barbosa, um dos suspeitos de mandar matar Marielle -

Um dos presos neste domingo, 24, por suspeita de mandar matar Marielle Franco, o delegado Rivaldo Barbosa, tomou posse como chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro em 13 de março de 2018, um dia antes do assassinato da vereadora e do motorista Anderson Gomes. 

A nomeação de Rivaldo, que chefiava a Delegacia de Homicídios, foi por convite do então Interventor Federal do Rio, o General Walter Braga Netto, que foi ministro da Defesa e da Casa Civil, além de candidato a vice-presidente na chapa com Jair Bolsonaro (PL).

Segundo informações do G1, Rivaldo Barbosa teria combinado com Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), antes do crime, que garantiria a sua impunidade.

Rivaldo, Domingos e o seu irmão, o deputado federal Chiquinho Brazão foram presos neste domingo, 24, pela Polícia Federal e o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), suspeitos de ordenar a morte de Marielle Franco, em março de 2018.

O prédio-sede da Polícia Civil do Rio também foi local de cumprimento de mandado de busca e apreensão neste domingo. O objetivo é colher provas de como a estrutura policial foi usada para que o crime não fosse solucionado. 

Publicações relacionadas