Rui acusa ACM Neto de fazer 'politicagem' com Hospital de Itaberaba

Durante evento da chapa petista em Jacobina, governador criticou ex-prefeito de Salvador e garantiu que entrará na Justiça para unidade ser aberta

Publicado domingo, 10 de julho de 2022 às 15:08 h | Atualizado em 10/07/2022, 15:08 | Autor: Da Redação
Rui Costa disse que governo entrou na Justiça para o Hospital de Itaberaba ser aberto imediatamente
Rui Costa disse que governo entrou na Justiça para o Hospital de Itaberaba ser aberto imediatamente -

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), acusou neste domingo, 10, o ex-prefeito de Salvador e pré-candidato do Palácio de Ondina, ACM Neto (União Brasil), de fazer “politicagem” com o Hospital Regional de Itaberaba. 

“Essa turma do Centrão, essa turma que não tem vergonha na cara, que não consegue oferecer preventivo para as mulheres em Salvador. Salvador não tem maternidade, as maternidades são do governo do estado da Bahia e construímos mais uma porque eles não investem. Ontem, estiveram lá em Itaberaba para fazer politicagem, sem a menor falta de vergonha na cara, dizendo que em janeiro vai abrir um hospital”, disse, durante discurso em Jacobina, onde participou de mais uma edição do Programa de Governo Participativo (PGP), evento da chapa de Jerônimo Rodrigues à sua sucessão. 

Na sequência, ele afirmou que entrará na Justiça para garantir a abertura imediata do Hospital. “Ele acha que o povo de Itaberaba merece ficar sem hospital até janeiro por causa da mesquinharia dele? Não vai por dois motivos. Primeiro porque não vai ganhar a eleição e segundo porque ontem falei com o procurador do Estado da Bahia e vou ingressar na Justiça para que a gente abra o hospital de Itaberaba imediatamente”, acrescentou.

Quando esteve em Itaberaba, Neto criticou a demora na entrega da unidade. “Nas conversas que tive com Ricardo, ele sempre me colocou como maior preocupação o funcionamento do Hospital Regional de Itaberaba. Pois eu quero dizer a ele e ao povo que, se o governo do estado nesses próximos meses não der as condições de funcionamento, se o credenciamento junto ao governo federal não avançar, em primeiro de janeiro, quando eu sentar a minha bunda na cadeira de governador, vou priorizar e vou colocar o hospital para funcionar”, disse.

Publicações relacionadas