Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > POLÍTICA
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
11/06/2024 às 7:37 - há XX semanas | Autor: Da Redação

Em áudio, empresário reclama de repasse a desembargador: "Valor da p*"

Empresário fez desabafo sobre suposta partilha de valores em processo bilionário

Joaquim Beltrão e empresário desabafaram em conversa gravada secretamente
Joaquim Beltrão e empresário desabafaram em conversa gravada secretamente -

Empresários e políticos reclamaram, por meio de áudio, do “alto valor” que seria cobrado por promotores e desembargadores do Tribunal de Justiça de Alagoas. A gravação foi obtida durante reunião, dentro da Câmara Municipal, e divulgada pela coluna do Paulo Capelli, do site Metrópoles.

Durante a conversa, o grupo detalha a suposta partilha dos valores oriundos da venda da safra de cana-de-açúcar para a massa falida de uma agroindústria local.

Em um dos áudios, o empresário Raimundo José Paranhos Reis, dono da RP Mecanização Agrícola, no município de Teotônio Vilela, conversa com o ex-deputado federal e ex-prefeito de Coruripe, Joaquim Beltrão, sobre a quantidade de pessoas “comendo” dinheiro com o bilionário processo de falência da Laginha Agroindustrial.

Atualmente, a empresa é avaliada em R$ 3 bilhões, mas tem dívida fiscal e trabalhista de aproximadamente R$ 4 bilhões. A massa falida da indústria, que pertencia ao empresário e ex-deputado federal João Lyra, morto em 2021, reúne três usinas de açúcar e etanol.

“Às vezes, sem querer o cabra consegue umas coisas, um negócio a favor. Aí sobre isso todo mundo ficou ‘peixe’, ninguém foi atrás do promotor, ninguém foi atrás de nada, ficou ali. Eles têm o poder da caneta. Se eles quiser [sic] moer essa cana todinha, aí eles mói. Só que tem um problema: fica com medo de a gente tocar fogo em tudo, nem a gente nem eles”, diz Joaquim Beltrão, no áudio

“É como o Joaquim e o Alfredo disseram aí, agora há pouco, que é caro demais, agora é porque também é muita gente comendo”, diz Raimundo Paranhos. “É… não é porque… é gente comendo, também, os caras querem muito”, responde Beltrão.

Raimundo, então, completa: “É caro por isso. Muita gente comendo demais. É o promotor, é o administrador, é o povo de São Paulo, aí é Sandro, aí é desembargador, é filho de desembargador. Quando soma, é um valor da p*rra. É por isso que fica caro”. Na conversa, o empresário não cita os nomes dos desembargadores e promotores que seriam contemplados.

Assuntos relacionados

agroindústria corrupção falência justiça Política Tribunal de Justiça de Alagoas

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

agroindústria corrupção falência justiça Política Tribunal de Justiça de Alagoas

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

agroindústria corrupção falência justiça Política Tribunal de Justiça de Alagoas

Publicações Relacionadas

A tarde play
Joaquim Beltrão e empresário desabafaram em conversa gravada secretamente
Play

Assista: Carla Zambelli se confunde e 'defende' aborto

Joaquim Beltrão e empresário desabafaram em conversa gravada secretamente
Play

Moro crava que ninguém queria volta de Lula e é rebatido; assista

Joaquim Beltrão e empresário desabafaram em conversa gravada secretamente
Play

Assista à íntegra da entrevista exclusiva de Bruno Reis

Joaquim Beltrão e empresário desabafaram em conversa gravada secretamente
Play

Vereador do Rio é flagrado no sanitário durante sessão; veja

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA