Líder dos caminhoneiros chama PEC de 'esmola' e 'compra de voto'

Governo federal prepara voucher de R$ 1.000 para a categoria

Publicado sexta-feira, 08 de julho de 2022 às 13:01 h | Atualizado em 08/07/2022, 13:01 | Autor: Da Redação
Wallace Landim, conhecido como Chorão
Wallace Landim, conhecido como Chorão -

O voucher de R$ 1.000 que o governo federal pretende dar aos caminoneiros até o final do ano em resposta aos seguidos reajuestes no valor dos combustíveis não deve acalmar tanto assim a opinião da categoria. O presidente da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores) Wallace Landim, conhecido como Chorão, classificou como "esmola" a proposta. 

Em nota enviada à imprensa, Chorão afirmou que o valor ofertado é insuficiente para "resolver os problemas dos caminhoneiros autônomos", além de ser uma "afronta" à inteligência desses profissionais, por se tratar de uma "clara tentativa" de comprar o voto dos motoristas.

"Mil reais não resolvem o problema dos caminhoneiros autônomos, é uma afronta à nossa inteligência, é uma tentativa clara de comprar o direito mais digno de um cidadão que é o seu voto", afirmou. 

"Presidente, precisamos de respeito, [pois] somos nós que carregamos o Brasil nas costas", completou Chorão, que sugeriu a possibilidade de paralisação da categoria. 

O voucher faz parte da chamada PEC dos Auxílios, que também tem sido chamada de PEC Kamikaze, pelo risco que impões às contas públicas. O texto foi aprovado pelo plenário do Senado na semana passada e será votado na Câmara dos Deputados na próxima terça-feira, 12. A votação seria realizada na noite de quinta-feira, 7, mas Arthur Lira decidiu adiar por falta de quórum. 

Publicações relacionadas