Rosa envia notícia-crime contra Bolsonaro por incitação à violência

Pedido foi protocolado pela oposição no início desta semana

Publicado sexta-feira, 15 de julho de 2022 às 08:36 h | Atualizado em 15/07/2022, 08:36 | Autor: Da Redação
Rosa Weber pediu que a PGR se manifeste sobre a notícia-crime
Rosa Weber pediu que a PGR se manifeste sobre a notícia-crime -

A ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), enviou para a Procuradoria-Geral da República a notícia-crime apresentada pela oposição contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por incitar violência. Como cabe à PGR avaliar a necessidade de um inquérito contra o chefe do Executivo, a decisão da ministra não passa de praxe. 

Em seu despacho, Rosa Weber pediu que a PGR se manifeste sobre a notícia-crime antes que ela decida sobre o processo. relator original do caso é o ministro Dias Toffoli, que está de férias.

A notícia-crime foi protocolada na última segunda-feira, 12, e acusa Bolsonaro de incitar a violência antes e durante seu governo, instigando seus apoiadores e ação criminosas e violentas contra a oposição. O pedido de inquérito acontece após a morte do tesoureiro petista Marcelo Arruda, morto por um bolsonarista em pleno aniversário. 

"As práticas deletérias, as condutas agressivas, os estímulos à intolerância contra adversários políticos, notadamente em relação aos partidos de esquerda, culminaram, no último sábado, com o covarde assassinato de um dirigente do Partido dos Trabalhadores, por um seguidor apaixonado da seita bolsonarista", afirma a oposição, citando o assassinato do guarda municipal Marcelo Arruda, morto a tiros por um agente penitenciário simpatizante do presidente.

Também foi apresentada uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para saber da possibilidade de proibição do porte de armas durante os dias da eleição. 

Publicações relacionadas