Juliette se culpa por transar com homens que não tem intimidade | A TARDE
Atarde > A TARDE + > Entretenimento

Juliette se culpa por transar com homens que não tem intimidade

Cantora explicou que tinha um caderno em que anotava coisas que fazia e a deixavam com sensação de culpa

Publicado quinta-feira, 16 de maio de 2024 às 15:22 h | Autor: Da Redação
Juliette citou também culpa que sentia em relação a própria família
Juliette citou também culpa que sentia em relação a própria família -

A cantora Juliette, de 34 anos, disse que se culpa por transar com homens com os quais não tinha intimidade. Em entrevista ao podcast “É Você?”, a ex-BBB revelou que esse sentimento costumava ser algo constante em sua vida.

A paraibana explicou que tinha um caderno em que anotava coisas que fazia e a deixavam com sensação de culpa, como, por exemplo, transar sem ter intimidade com o parceiro.

“Eu tinha um caderno de culpa, eu entendia quando eu sentia uma culpa leve e moderada e eu anotava isso para eu me analisar. Eram coisas que quando vejo, tipo, falei uma coisa ruim para meu irmão, culpa grave. Fiz sexo com uma pessoa que eu nem tinha tanta intimidade, culpa grave. Comecei entender de onde vinha essa culpa e comecei a equilibrar. Eu fazia minha análise”, disse.

Na mesma ocasião, Juliette citou culpa que sentia em relação a própria família. “Eu via os meus irmãos em situações diferentes e eu sentia culpa quando tinha algo a mais [que eles] ou quando eu fazia algo a mais. Por exemplo: eu tinha a oportunidade de estudar mais e eu tô indo muito bem nisso, o meu irmão não teve essa oportunidade e eu me sentia culpada, ou quando eu conseguia um bem material, eu não comprava, eu poderia ter isso, mas não queria porque me sentia culpada”, contou.

Segundo Juliette, ela precisou trabalhar esse sentimento de culpa para mudar suas perspectivas. “Existe a preocupação com o outro, o sentimento de empatia, igualdade, mas existem outras coisas e eu tento equilibrar. Hoje me sinto muito mais desprendida de culpa em relação a minha família, talvez porque eu tenha conseguido ajudá-los. Eu me sinto mais livre para viajar, para comprar uma roupa, gastar, para usufruir de algumas coisas, exercer minha intelectualidade plena sem me sentir culpada”, completou.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS