adblock ativo

Espaço do Leitor

Publicado quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006 às 00:00 h | Atualizado em 22/02/2006, 00:00 | Autor: JORNAL A TARDE
adblock ativo

Direito à folia



A musa do Carnaval baiano é uma japonesa! Por que não foi escolhida uma das belezas negras da Bahia? Já que está definido, não podemos nem sugerir, mas protestar podemos. Gostaria de lembrar às autoridades que a enorme população negra desta cidade tem todo o direito à folia. Não gostaríamos de assistir à violência correr solta contra aqueles que não podem pagar fortuna para estar no camarote ou nos blocos. Esses brincam, sem corda, sem proteção, mas não merecem serem tirados da frente para deixar os gringos passarem.



Aguinaldo de Oliveira

Salvador – BA



Stones




O “Pelé do rock”, Mick Jagger, completamente feito de rock, movimentou o seu magérrimo e eletrizante corpo numa apresentação que hipnotizou a platéia no Rio de Janeiro. Conhecendo o que gosta de fazer, aplicou sua habilidade e transbordou competência nas areias de Copacabana. Este foi o resultado do show que mostrou Charlie Watts, 64 anos, Mick Jagger e Keith Richards, 62, e Ronnie Wood, 58, provando que o ser humano pode dar um show em qualquer geração.



Cláudio Batista de Sá

Salvador – BA



Capacitação




Sei bem o que é ser empreendedor neste País. É verdade. Muitos não têm crédito mesmo. O gerente do banco não empresta por quê? Porque o risco de inadimplência é muito alto. Se ele der o crédito, ele, pessoa física, tem de assumir o risco, e ninguém quer fazer isso. O microempresário, até o seu quinto ano de operação, morre em 85% dos casos. Por quê? Por ser um desempregado ou um idealista ou ter um sonho e resolve criar uma empresa para ganhar dinheiro. No dito popular, sinônimo de empresário é riqueza. Só que ele desconhece a parte contábil, jurídica, legal, financeira e, mais importante, o mercado. E aí ele enfrenta uma competição acirrada e não consegue se manter. A única saída para resolver isso se chama capacitação.



Moisés dos Santos Trindade

Salvador – BA



Denúncia equivocada




Sou da religião afro-brasileira (candomblé) e li, em 7/2, a denúncia “Respeitar direitos”, do leitor Eduardo Sampaio, que afirma que, em 2/2, a mãe-de-santo conhecida por Angelina Matos ou Maiamba estava tocando e soltando fogos em comemoração a Iemanjá. Gostaria que o senhor Eduardo provasse a veracidade do fato, pois a mesma se encontra enferma e há um ano não faz festa. Foi um grande equívoco. Verifique de onde saiu a tal “batucada infernal” e não faça críticas errôneas.



André Luís de Jesus Santos

Salvador – BA



Resposta do Simm




O leitor Hélio Ondiária repete a gracinha de um radialista dizendo que o Simm é Não. A brincadeira parece óbvia, mas não é. O Simm já conseguiu que mais de 6,7 mil pessoas obtivessem empregos formais e de carteira assinada em cerca de 900 empresas que confiam no serviço municipal de intermediação gratuita para o trabalhador e para as empresas. Será que o leitor sabe quanto cobra uma empresa privada por essa intermediação? Seis mil e 700 empregos intermediados ainda é pouco em relação aos 316 mil desempregados em Salvador? Sim e Simm, mas, antes da administração do prefeito João Henrique, “era nenhuma”. Vale relembrar que o Simm já captou cerca de 16 mil vagas e conseguiu que 6,7 mil dos 80 mil cadastrados fossem aproveitados. Perto de 9 mil vagas não foram aproveitadas por falta de qualificação profissional, outro grave problema do nosso mercado de trabalho. Há também a inverdade, quando afirma “que a gestão atual continua dizendo que o Simm é e continuará sendo a mais importante alternativa de desemprego em nosso município”. Não é verdade. O Simm é uma das frentes de combate. As outras incluem a atração de investimentos, qualificação profissional, uso do solo com finalidade econômica e social, a consolidação e/ou abertura de novos vetores de desenvolvimento econômico conforme definição da Estratégia Econômica, a primeira da história de Salvador, elaborada na atual administração.



Domingos Leonelli

Secretário de Economia, Emprego e Renda

Salvador – BA



Cartas para esta coluna devem ser dirigidas a

“Espaço do Leitor” - Redação de A TARDE - Rua Professor Mílton Cayres de Brito nº 204, Caminho das Árvores - Salvador - BA - CEP 41822-900, ou ao e-mail [email protected] Devem conter até 10 linhas em corpo 12, com endereço e telefone. Reconhecer a firma quando se fizerem acusações e denúncias. A publicação das cartas poderá ser integral ou parcial, a critério da editoria.

adblock ativo

Publicações relacionadas