adblock ativo

Polícia é acionada após vandalismo contra escultura de Mãe Stella

Publicado quinta-feira, 19 de setembro de 2019 às 16:32 h | Atualizado em 19/09/2019, 18:06 | Autor: Da Redação | Foto: Divulgação | Secom
Obra que amanheceu com pichações e teve a placa com a marca da Prefeitura arrancada
Obra que amanheceu com pichações e teve a placa com a marca da Prefeitura arrancada -
adblock ativo

Após ato de vandalismo no monumento em homenagem à Mãe Stella de Oxóssi, no bairro de Stella Maris, em Salvador, a Fundação Gregório de Mattos (FGM) registrou, nesta quinta-feira, 19, um boletim de ocorrência na polícia. O ataque à escultura, que leva o nome da líder religiosa falecida em 2018, aconteceu nesta madrugada.

Também nesta quinta, técnicos do órgão municipal estiveram no local para verificar os danos e programar a pintura da obra, assim como a recolocação da placa com a marca da prefeitura, o que deve acontecer nos próximos dias.

A obra, que amanheceu com pichações e teve a placa arrancada, é composta por esculturas do orixá Oxóssi e de Mãe Stella, de autoria do artista plástico Tatti Moreno. O monumento foi entregue pela prefeitura em abril deste ano.

O poder público municipal gasta cerca de R$ 45 mil com reparos de praças, academias de saúde, espaços de lazer e monumentos que são alvos de vandalismo.

Outros casos

Um dos registros mais recentes foi o furto do Cetro da Ancestralidade, de mestre Didi, implantado no bairro do Rio Vermelho, onde uma das pombas feita de bronze foi roubada em agosto. Já em janeiro deste ano, outro alvo foi a estátua de Zumbi dos Palmares, que fica na Praça da Sé, no Pelourinho.

A Fundação restaurou 13 monumentos em 2018, sendo que dois deles, a estátua de Castro Alves na Rua Chile, e o Ode à Jorge Amado no Imbuí, foram vandalizados no mesmo ano.

Também no ano passado foram identificados roubos a outras partes de esculturas em bronze do monumento ao Dois de Julho. Em 2017, também foram roubados os elementos decorativos e letras, que haviam sido restauradas em fibra de vidro da estátua do Barão do Rio Branco.

Um caso que segue sendo investigado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) é o ataque ao monumento Pedra de Xangô, onde foram jogados quilos de sal grosso.

Conscientização

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de preservar os monumentos da cidade, a FGM promove atividades de educação patrimonial, como a roda de conversa mensal "Patrimônio é...". As ações são realizadas por meio do Salvador Memória Viva, programa de atividades de proteção e estímulo à preservação dos bens materiais e imateriais do município.

adblock ativo

Publicações relacionadas