Operação Astreia prende 13 investigados por integrar facção | A TARDE
Atarde > Bahia

Operação Astreia prende 13 investigados por integrar facção

Foram cumpridos mandados de prisão temporária e de busca e apreensão

Publicado terça-feira, 20 de junho de 2023 às 09:06 h | Atualizado em 20/06/2023, 11:25 | Autor: Da Redação
Os investigados responderão pelos crimes de Organização Criminosa, Tráfico de Drogas e Lavagem de Dinheiro
Os investigados responderão pelos crimes de Organização Criminosa, Tráfico de Drogas e Lavagem de Dinheiro -

A ‘Operação Astreia’ prendeu 13 pessoas na manhã desta terça-feira, 20. A operação combate uma organização criminosa especializada em tráfico de drogas para Bahia e Pernambuco. Além disso, a Justiça determinou o sequestro de bens e bloqueio de valores de oito investigados.

Foram cumpridos mandados de prisão temporária e de busca e apreensão. Os mandados foram cumpridos na Bahia, Pernambuco e Sergipe. O fundador da facção, em território sergipano

Pistola, revólver, carregadores, munições para pistola e fuzil, além de nove mil reais, drogas e coletes balísticos foram encontrados em imóveis nas cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).

Segundo as investigações, o grupo criminoso cometeu uma série de delitos, dentre eles tráfico de drogas e homicídios, “aumentando significativamente a violência local”. As investigações seguem para apurar “a amplitude da suposta organização criminosa, bem como identificar outros integrantes”. 

A operação foi deflagrada pela Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público da Bahia, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais Norte (Gaeco Norte) e das Polícias Militares da Bahia e Pernambuco.

"A tônica da nossa gestão é a integração. Atuaremos sempre somando esforços, buscando a paz para os baianos. Parabéns a todas as equipes envolvidas", declarou o secretário da Segurança Pública, Marcelo Werner.

As investigações revelaram conexão do grupo criminoso investigado com uma série de delitos, dentre eles, tráfico de drogas, armas e homicídios, aumentando significativamente a violência local. 

Os investigados responderão pelos crimes de Organização Criminosa, Tráfico de Drogas e Lavagem de Dinheiro, cujas as penas somadas pode chegar a 33 anos de reclusão. Caso seja comprovado homicídio, a pena é de 12 a 30 anos.

Publicações relacionadas