MP denuncia madrasta acusada de envenenar enteados no Rio de Janeiro

De acordo com a denúncia, Cíntia atuou de forma livre e consciente "com vontade de matar"

Publicado terça-feira, 12 de julho de 2022 às 16:49 h | Atualizado em 12/07/2022, 17:03 | Autor: Da Redação
Ela está presa desde 20 de março de forma temporária
Ela está presa desde 20 de março de forma temporária -

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) apresentou denúncia contra Cíntia Mariano Dias Cabral por homicídio e tentativa de homicídio.

Cíntia é a madrastra de Fernanda Carvalho Cabral, de 22 anos, morta por envenenamento em março, e do irmão dela, Bruno Carvalho Cabral, de 16 anos, também envenenado, mas socorrido e salvo.

Segundo a denúncia, Cíntia atuou de forma livre e consciente "com vontade de matar".

Cíntia está presa de forma temporária desde o dia 20 de maio.

"Após os fatos, ambas (as vítimas) apresentaram, como pontuado no relatório da autoridade policial, sintomas típicos de intoxicação exógena por carbamato (chumbinho), quando verificados de forma simultânea", diz trecho do documento.

O depoimento de Bruno também integra a denúncia. "Relatou que, quando almoçava na casa da denunciada, sempre servia a sua própria comida. No dia dos fatos, no entanto, seu prato foi entregue pela demandada e já continha feijão, e ele colocou os outros alimentos".

Publicações relacionadas