Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > colunistas > ARTIGOS
COLUNA

Artigos

Por Da Redação

Artigos
ACERVO DA COLUNA
Publicado Monday, 06 de May de 2024 às 6:00 h | Autor:

Insensatez

Segundo pesquisa do Conselho Federal de Farmácia, oito a cada 10 brasileiros se medicam sem orientação médica

Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
Conselho Federal de Farmácia alerta para uso indiscriminado de remédios sem receita.
Conselho Federal de Farmácia alerta para uso indiscriminado de remédios sem receita. -

O uso indiscriminado de medicamentos tem motivado preocupações constantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), com sucessivos alertas para o risco advindo da insensatez de atos como a prática da automedicação.

Mal comparando, pode-se dizer um jogo no qual se profetiza o sonho de sobreviver, no entanto, a tática utilizada para vitória envolve “players” de condição série Z, como antibióticos e medicamentos já não controlados.

Pesquisa do Conselho Federal de Farmácia indica que cerca de oito a cada 10 brasileiros escolhem a indicação leiga ou a bula ao consumir remédios, desconsiderando a consulta médica.

O número coincide com uma enquete de perfil jornalístico realizada por A TARDE, desprovida de metodologia científica, mas com igual resultado, tido como elevado.

Pode-se verificar a desproporção em apenas meia hora de caminhada, passando em três ou quatro drogarias; não é difícil, ouvido atento, flagrar a cantilena a repetir-se: cliente relata sintoma e vendedor traz a solução, como a “garrafada” das feiras.

Sem embasamento profissional para acompanhar o tratamento, e fazendo uso indiscriminado de substâncias, as pessoas submetem-se a elevados níveis de intoxicação e contribuem com a resistência de microrganismos aos antimicrobianos.

Sintomas de doenças graves podem desaparecer, enquanto o organismo está apenas aguardando passar o efeito do remédio supostamente adequado para voltar a produzir dor e sofrimento. Ao ser adiada a busca por tratamento adequado, o tempo passa e o relógio marca o tempo final.

O assunto assombra profissionais da Saúde e inspira campanhas como a realizada no Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, ontem, com alerta do Conselho Regional de Farmácia (CRF) para os perigos do que define como “epidemia silenciosa”.

Assuntos relacionados

automedicação Conselho Federal de Farmácia editorial

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags

Assine a newsletter e receba conteúdos da coluna O Carrasco