Leo Prates acusa Ministério da Saúde de não distribuir vacinas de maneira igualitária

Publicado terça-feira, 15 de junho de 2021 às 10:42 h | Atualizado em 15/06/2021, 11:06 | Autor: Da Redação

O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, acusou nesta terça-feira, 15, o Ministério da Saúde de não distribuir as vacinas contra a Covid-19 de maneira igualitária.

"Não está tendo igualdade na distribuição de doses no Brasil. Como uma capital tem 79,9% da população vacinada, outra tem 45,3% e tem capital parâmetro com ainda menor", afirmou em entrevista á rádio Metrópole.

Leo Prates citou a vacinação de São Luís, no Maranhão, que já avançou para a imunização de pessoas com 26 anos ou mais nesta terça-feira. Salvador opta por garantir a aplicação de segunda dose e ainda não concluiu a vacinação dos grupos prioritários. Em relação a faixa etária, a capital baiana começou a imunizar pessoas com 50 anos ou mais no último sábado, 12.

Com isso, o secretário de saúde sugeriu que o Ministério distribua as próximas remessas de vacinas, de modo que os municípios voltem a ter uma porcentagem equivalente de pessoas imunizadas. "O município que recebeu a mais seja abatido dos lotes até que toda a população esteja no mesmo patamar".

São Luís foi beneficiada com uma remessa extra de imunizantes no dia 24 de maio em decorrência do achado da cepa indiana na capital. O secretário municipal de Saúde de São Luís, Joel Júnior, disse que a intenção é aplicar a primeira dose em todos o público-alvo da cidade até o dia 10 de agosto.

Publicações relacionadas