Vacina evitou mais de 40 mil mortes por Covid-19 no Brasil, mostra estudo

Publicado sexta-feira, 18 de junho de 2021 às 09:44 h | Atualizado em 18/06/2021, 10:21 | Autor: Da Redação

Em quatro meses, a vacinação contra o coronavírus já evitou a morte de mais de 40 mil idosos acima de 70 anos. O estudo, realizado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde, foi divulgado nesta quinta-feira, 17.

Os pesquisadores estudaram as tendências de mortes por Covid-19 e por causas não relacionadas ao coronavírus entre 3 de janeiro a 27 de maio de 2021. Foram registrados, neste intervalo de tempo, 238.414 óbitos por Covid-19 e 447.817 mortes por outras causas.

O número de mortes pela doença aumentou em todas as faixas etárias a partir de fevereiro, quando a variante Gama (de Manaus) se disseminou no país. Segundo o estudo, os níveis nacionais de cobertura com a 1ª dose de uma vacina anticovid na faixa etária de 80 anos ou mais superaram os 80% no fim de fevereiro, estabilizando-se em torno de 95% a partir de março.

O percentual de mortes de idosos acima dos 80 anos caiu de 28% do total de óbitos por Covid-19 em janeiro para 12% em maio. Metade das pessoas na faixa etária de 70 a 79 anos já havia recebido ao menos uma dose da vacina na última semana de março –percentual que subiu para 90% na primeira metade de maio.

“Encontramos evidências de que, embora a disseminação da variante P.1 [Gama] tenha levado ao aumento das mortes por covid-19 em todas as idades, a proporção de óbitos entre os idosos começou a cair rapidamente a partir da segunda quinzena de fevereiro de 2021”, disse Cesar Victora,  epidemiologista e líder do estudo.

Publicações relacionadas