Esposa de Stênio Garcia cometeu crime de humilhação, diz promotora

Marilene considerou o fato intempestivo e disse ter medo de perder o ator

Publicado sexta-feira, 15 de julho de 2022 às 19:22 h | Atualizado em 15/07/2022, 19:39 | Autor: Da Redação

Marilene Saad, esposa do ator Stênio Garcia, cometeu crime de humilhação ao idoso ao interromper auma entrevista dele nesta terça-feira, 12. A avaliação é da promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo, Eliana Passarelli.

Segundo ela, Marilene infringiu o Estatuto do Idoso e o crime cometido foi mais grave que uma injúria. "No caso do Stenio Garcia houve um crime, sim. É o crime de menosprezar o idoso, é um crime previsto no Estatuto do Idoso. A pena vai de um a três anos de reclusão, não é nem detenção", disse a promotora em vídeo publicado pela apresentadora Sônia Abrão. 

Ela seguiu afirmando que ao tapar a boca de Stênio, Marilene não só faltou com o 'absoluto respeito' em relação a Stênio, como conseguiu provocar um crime de humilhação ao idoso.

"Esse crime está previsto no artigo 96 do Estatuto do Idoso. É um crime que se processa automaticamente, independe da vontade do Stenio. A gente até entende a comoção, as pessoas revoltadas, mas ela deveria ter pensado antes de fazer", explicou.

Após a repercusão das imagens, Marilene foi às redes sociais negar que o ator sofra maus tratos.

"Há 24 anos estou casada com o Stenio Garcia. E nesses 24 anos, ao contrário do que vocês estão dizendo, nunca teve relação de briga entre nós. Jamais teve agressão verbal ou física nem da minha parte e nem da dele. Nós usamos o princípio do yoga Ahinsa, que é a não violência em todos os sentidos".

Ela criticou os ataques recebidos. "Pior do que eu fiz são as pessoas me chamarem de torturadora e dizerem que ele sofre maus tratos. Sendo eu a pessoa que há 24 anos o acaricia, o protege e cuida com o maior amor e delicadeza do mundo".

"Um fato intempestivo não anula os 24 anos de excesso de amor, dedicação e medo, sim, de perdê-lo para essa tal de morte que um dia acontecerá com todo mundo. Por isso peço a Deus que me leve junto com ele porque eu não sei viver sem ele. O meu príncipe Stenio é a minha razão de viver e o meu maior propósito de vida e quem nos conhece sabe e reconhece isso. Julgar erroneamente também é agressivo e abusivo. Vivemos tempos estranhos, então, que todos consigam paz, saúde, equilíbrio e força mental para nunca perder o controle", finalizou.

Publicações relacionadas