Estilo industrial ganha cada vez mais espaço na decoração

Baixo orçamento, aliado à busca por uma estética mais original e urbana, fazem do conceito uma tendência no design de interiores

Publicado sábado, 09 de julho de 2022 às 08:00 h | Atualizado em 08/07/2022, 22:27 | Autor: Leilane Suzarte*

O estilo industrial é uma tendência na arquitetura de interiores que permanece forte em 2022, e só faz crescer. O destaque são as estruturas expostas e metálicas, conferindo mais arrojo e originalidade ao ambiente. De acordo com os especialistas, o objetivo é  criar uma estética moderna e urbana na decoração. Então, apostar em cores sóbrias, iluminação em trilhos e móveis rústicos fará toda a diferença no projeto, dizem. 

Outra dica é o  uso de portas e janelas largas, permitindo ampliar espaços, e trazendo mais funcionalidade aos ambientes. A designer de interiores Bruna Oliveira, há 16 anos no mercado, explica as razões para a popularização do estilo.

“Oferece modernidade, praticidade, e a pessoa consegue fazer uma decoração bacana, com ótimo custo-benefício”, fala Bruna. 

Isso porque, segundo ela, nesses casos, não é necessário tanto investimento, ou  preocupação com acabamentos muito delicados. 

Larissa Gribel, arquiteta e urbanista, pós-graduanda em design de interiores, explica o conceito por traz da decoração industrial. “Eu acho que o conceito básico de industrial é fazer a mistura de elementos rústicos com o contemporâneo, e aí você acaba criando uma atmosfera mais urbana”, diz.

Larissa conta também sobre a necessidade de criar uma ambientação com este perfil, mas levando em consideração o gosto pessoal do morador. “Primeiro, respeitar os desejos do cliente, a forma de morar dele. Cada pessoa tem uma utilização diferente do espaço, e é  preciso trazer para a decoração elementos que tenham significado. Porque isso tudo é que traz uma sensação de pertencimento”, afirma.

A arquiteta Ysabela von Flach destaca que é possível observar que existem cômodos da casa que os indivíduos costumam decorar mais nesse estilo. 

“As pessoas geralmente preferem usar nas áreas sociais, como cozinha, e, muitas vezes, as cozinhas são integradas com a sala; além do  lavabo também”, conta.

Por remeter à estrutura dos galpões industriais, sem divisórias internas, essa tendência valoriza espaços amplos e integrados. Para Ysabela, contudo, integrar ambientes não faz mais parte somente desse estilo. 

“Principalmente com a pandemia, todo mundo quer usar a casa como um todo para receber amigos e familiares. Então, hoje em dia, não faz mais parte só de um estilo. É uma nova forma de se viver”, diz ela.

Cuidados com o visual 

Vale ressaltar que a decoração industrial pode ser utilizada em diversos tipos de projetos. A designer de interiores Bruna Oliveira explica como deixar a residência com esse visual. 

“Uso de elementos, como o cimento queimado ou o porcelanato com estilo de cimento queimado. Também cores cinza, branco e preto estão muito presentes nessa proposta. Usar luminárias de trilhos ou spots (luzes sobrepostas) que não precisam ficam embutidas no gesso. E nem precisa ter um acabamento fino, mas, de qualquer forma, o espaço tem que ficar elegante ”, fala Bruna. 

Ysabela von Flach pontua, porém, que é necessário entender que muitos elementos rudimentares podem acabar sobrecarregando os espaços, deixando um visual desarmônico. Ela avalia sobre o cuidado que se deve ter no uso dos materiais para não deixar o projeto frio ou impessoal demais. 

Para Ysabela, é fundamental apostar também no requinte do ambiente.

“Eu sempre busco trazer texturas e tapetes. Além de utilizar a madeira urbanizada preta, o uso da madeira natural, mesmo que seja em um tom mais escuro, já é um material muito acolhedor. As obras de artes ou quadros sempre com tons de cor, e que tenha a ver com a personalidade do morador para que ele possa também se identificar e não ficar totalmente impessoal”, destaca Ysabela.

*Sob supervisão do jornalista Fábio Bittencourt

Publicações relacionadas