Pobreza na Argentina atingue 57,4%, maior patamar em 20 anos | A TARDE
Atarde > Mundo

Pobreza na Argentina atingue 57,4%, maior patamar em 20 anos

Segundo relatório, o da pobreza está diretamente relacionado à desvalorização promovida pelo governo

Publicado segunda-feira, 19 de fevereiro de 2024 às 17:32 h | Autor: Da Redação
Imagem ilustrativa da imagem Pobreza na Argentina atingue 57,4%, maior patamar em 20 anos
-

Apesar de anunciar o primeiro superávit fiscal em quase 12 anos, na noite de sexta-feira, 16, a Argentina ainda enfrenta a pobreza, que aumentou em janeiro, alcançando 57,4% da população, o equivalente a 27 milhões de pessoas.

Em dezembro, ela estava em 49,5%, o maior nível atingido pelo indicador em 20 anos. As informações são do relatório "Argentina século XXI: Dívidas sociais crônicas e desigualdades crescentes. Perspectivas e desafios", divulgado neste fim de semana pelo Observatório da Dívida Social Argentina.

Segundo o relatório, o crescimento da pobreza está diretamente relacionado à desvalorização promovida pelo governo em dezembro passado, que elevou os valores das cestas básicas e do total de alimentos.

Leia mais: Inflação na Argentina tem alta anual de 254,2% em janeiro

Os mais afetados foram as famílias de classe média baixa e os trabalhadores com escassa qualificação, principalmente os que não estão incluídos em políticas sociais específicas. Para esses públicos, a pobreza aumentou de 81,9% em dezembro de 2023 para 85,5% em janeiro de 2024.

Segundo o diretor do Observatório da Dívida Social da Universidade Católica da Argentina, Agustín Salvia, o relatório se baseia em "uma simulação estatística a partir dos dados da pesquisa do terceiro trimestre do ano passado".

Publicações relacionadas