adblock ativo

Não há como governar "longe das pessoas", diz Rui Costa

O presidente Jair Bolsonaro, adversário político do governador, tem sido criticado por manter as férias

Publicado quarta-feira, 29 de dezembro de 2021 às 16:24 h | Atualizado em 29/12/2021, 16:24 | Autor: Rodrigo Aguiar
Em publicação, governador reforçou presença no interior do estado nos últimos dias
Em publicação, governador reforçou presença no interior do estado nos últimos dias -
adblock ativo

Em meio às críticas feitas ao presidente Jair Bolsonaro por manter as férias em Santa Catarina enquanto diversas regiões da Bahia sofrem com enchentes, o governador Rui Costa reforçou, sem citar o mandatário, sua presença no interior do estado nos últimos dias.

"Governar é cuidar de gente e não há como fazer isso longe das pessoas. Estou no sul da Bahia desde domingo, visitando as cidades atingidas pelas fortes chuvas e posso afirmar que e o estrago vai além das sedes das cidades e das casas", escreveu no Twitter o chefe do Executivo baiano.

Na terça, 28, o governador já havia contestado um repasse de R$ 80 milhões da União para a Bahia, ao considerar a soma insuficiente.

Já Bolsonaro compartilhou em sua conta uma entrevista na qual o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, o defende. "O presidente foi à Bahia. E quando ele foi, foi criticado porque foi à Bahia. O presidente mandou os ministros e foi criticado porque mandou os ministros. Eu acho que, se o presidente descobrir a cura do câncer, ele vai ser criticado porque descobriu a cura do câncer", ironiza Marinho. O ministro faz referência a uma visita do presidente ao Sul da Bahia em 12 de dezembro, quando Bolsonaro sobrevoou a região, também atingida por temporais naquela ocasião.

Ao compartilhar o vídeo com a fala de Marinho, o chefe do Palácio do Planalto escreveu: "Bahia, nosso trabalho é solidariedade".  Em outra publicação, ele marcou, além de Marinho, órgãos como a Caixa Econômica Federal e o Ministério da Defesa, além de outros ministros, como João Roma (Cidadania) e Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura). "Continuamos na Bahia", tuitou.

adblock ativo

Publicações relacionadas