Bolsonaro cita preferências ideológicas ao lamentar morte de Jô Soares

Outros presidenciáveis também lamentaram a morte do apresentador, autor e humorista

Publicado sexta-feira, 05 de agosto de 2022 às 13:58 h | Atualizado em 05/08/2022, 13:58 | Autor: Da Redação
Apresentador morreu nesta sexta-feira, 5, aos 84 anos
Apresentador morreu nesta sexta-feira, 5, aos 84 anos -

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para lamentar a morte de Jô Soares, aos 84 anos, nesta sexta-feira, 5.

Candidato à reeleição, ele iniciou a publicação citando as diferentes preferências ideológicas e disse que Jô foi uma grande personalidade brasileira.

Ele seguiu lembrando que foi alvo de duras críticas do apresentador, mas devido a liberdade de expressão, Jô pôde exercê-la integralmente. Ele finalizou citando que as obras deixadas por Jô Soares para o Brasil.

Candidato do PT, Lula compartilhou a foto de uma participação no programa e afirmou que o país não esquecerá a obra deixada.

Ciro Gomes também compartilhou uma foto no Programa do Jô, quem considerou uma das nossas maiores referências de inteligência, talento e humor.

Simone Tebet, candidata do MDB, afirmou que, além de Jô Soares, seus personagens também partiram.

Felipe D’Avila, do Novo, afirmou que Jô era brilhante e deixa um importante legado de inteligência e humanidade.

Em sua publicação, Sofia Manzano (PCB) afirmou que Jô lutou contra a ditadura, participou do movimento Diretas Já e se posicionou contrário a Bolsonaro.

Soraya Thronicke, recém confirmada pelo União Brasil, estendeu os sentimentos aos familiares, amigos e fãs de Jô Soares.

José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU), Leonardo Péricles (UP), Pablo Marçal (Pros) e Roberto Jefferson (PTB), até o momento, não se pronunciaram.

Publicações relacionadas