"Se tiver que trocar, eu troco", diz Bolsonaro sobre Petrobras

Caio Paes de Andrade, é o quinto chefe da estatal no atual governo

Publicado quarta-feira, 13 de julho de 2022 às 15:52 h | Atualizado em 13/07/2022, 15:52 | Autor: Da Redação
De acordo com o chefe do Executivo brasileiro, a estatal pode ter lucro, mas em uma “época de guerra”, o sentimento precisa ser diferente. “É sacrifício para todo mundo”.
De acordo com o chefe do Executivo brasileiro, a estatal pode ter lucro, mas em uma “época de guerra”, o sentimento precisa ser diferente. “É sacrifício para todo mundo”. -

O presidente Jair Bolsonaro (PL) minimizou as sucessivas trocas de comandos na Petrobras durante o seu governo. Nesta quarta-feira, 13, ele afirmou a apoiadores que está disposto a trocar o comando da Petrobras quantas vezes achar necessário.

"Ah, ele trocou quatro vezes o presidente da Petrobras. Sim, se tiver que trocar cinco, eu troco. Não tem problema", argumentou. "Ninguém quer trocar o presidente da Petrobras para interferir. Quer trocar porque ele não tem aquele sentimento social que está previsto em lei", acrescentou.

De acordo com o chefe do Executivo brasileiro, a estatal pode ter lucro, mas em uma “época de guerra”, o sentimento precisa ser diferente. “É sacrifício para todo mundo”.

A declaração do presidente ocorre horas antes de o comitê da petroleira se reunir para analisar as indicações do governo ao conselho.

Indicado por Bolsonaro, o atual presidente da Petrobras, Caio Paes de Andrade, é o quinto chefe da estatal no atual governo. Ele foi nomeado em meio com a intenção do Palácio do Planalto de diminuir o preço dos combustíveis em ano eleitoral.

Antes de Andrade, o governo Bolsonaro escolheu para presidir a Petrobras Roberto Castello Branco, Joaquim Silva e Luna e José Mauro Coelho. Fernando José, comandou a estatal interinamente até a indicação do atual presidente da estatal.

Publicações relacionadas