Lula ironiza Moro após ex-juiz virar réu em ação de petistas

Ex-presidente disse esperar que Moro tenha um "julgamento decente", diferente do dele

Publicado terça-feira, 24 de maio de 2022 às 11:04 h | Atualizado em 24/05/2022, 11:04 | Autor: Da Redação
Lula foi preso pela Operação Lava Jato e julgado por Moro
Lula foi preso pela Operação Lava Jato e julgado por Moro -

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comentou a ação que tornou o ex-juiz Sérgio Moro réu em um processo que pede indenização aos cofres públicos por alegados prejuízos causados à Petrobras e à economia brasileira por sua atuação à frente da Operação Lava Jato.

"Só espero que ele tenha o direito de defesa e a presunção de inocência que eu não tive com ele", disse o petista relembrando quando foi preso pela Operação Lava Jato por determinação de Moro. Anos depois, o caso foi anulado por imparcialidade do ex-juiz. 

Lula também criticou a imprensa e disse que espera um tratamente honesto com morto, diferente da suposta cobertura parcial de quando o investigado era ele. "O que eu quero que aconteça com o Moro e com qualquer outra pessoa neste país é que eles tenham um julgamento decente, digno e respeitoso. Que eles tenham direito a presunção da inocência e que possam provar as coisas que fizeram e que não fizeram", continuou o ex-presidente.

A ação foi proposta pelos deputados petistas Rui Falcão (SP), Erika Kokay (DF), Natália Bonavides (RN), José Guimarães (CE) e Paulo Pimenta (RS). Os parlamentares afirmam que "o ex-juiz Sergio Moro manipulou a maior empresa brasileira, a Petrobras, como mero instrumento útil ao acobertamento dos seus interesses pessoais". A opinião é a mesma de Lula. 

"Eu, pessoalmente, acho que o Moro cometeu um crime contra esse país. Os prejuízos que esse país teve com o Carnaval que o Moro protocolou nesse país é muito grande", disse o pré-candidato à Presidência.

A ação judicial foi apresentada no dia 27 do último mês e foi enviada à 2ª Vara Federal Cível de Brasília e foi aceita pelo juiz Charles Renaud Frazão de Morais. 

Sérgio Moro, por sua vez, se defendeu em nota ao alegar que “a gestão desastrosa do PT quase quebrou a Petrobras e o país. O que prejudicou a economia e eliminou empregos foi a corrupção, e não o combate a ela”. 

Publicações relacionadas