Amigos e familiares de adolescente assassinada protestam no Centro

Cristal Pacheco foi morta durante tentativa de assalto no Centro de Salvador

Publicado quarta-feira, 03 de agosto de 2022 às 09:16 h | Atualizado em 03/08/2022, 09:15 | Autor: Daniel Genonadio
Em cartazes, os jovens pediram justiça e ações públicas para evitar casos do tipo
Em cartazes, os jovens pediram justiça e ações públicas para evitar casos do tipo -

Os amigos e familiares da adolescente Cristal Rodrigues Pacheco, morta durante uma tentativa de assalto na Avenida Sete de Setembro, em Salvador, na terça-feira, 2, fazem um protesto contra a morte e a violência na capital baiana na manhã desta quarta-feira, 3, no mesmo local em que o crime aconteceu. A adolescente de 15 anos foi baleada no peito e não resistiu.

O protesto contou com diversos estudantes do Colégio das Mercês, onde Cristal estudava e tinha como destino antes de ser morta durante um assalto. Em cartazes, os jovens pediram justiça e ações públicas para evitar casos do tipo. Alguns alunos ainda mancharam de vermelho a farda do colégio, na região do peito, onde Cristal foi baleada

Em outro momento, os colegas da estudante, que estava no nono ano do ensino fundamental, se juntaram em um abraço simbólico e seguiram em caminhada pela região do Campo Grande aos gritos de "Cristal, presente". Os jovens seguiram até a frente da sede do Comando Geral da Policia Militar e seguiram seu protesto com gritos de justiça. 

O Colégio das Mercês suspendeu as aulas e determinou um luto de três dias
O Colégio das Mercês suspendeu as aulas e determinou um luto de três dias |  Foto: Rafaela Araújo | Ag. A TARDE
 

O crime

Cristal Rodrigues Pacheco, de 15 anos, foi morta após ser baleada na manhã desta terça, após ser abordada por duas mulheres armadas em uma tentativa de assalto. O crime aconteceu em frente ao Passeio Público, no Campo Grande. A jovem estava na companhia da mãe e de uma irmã de 12 anos.

As duas mulheres abordaram a família e anunciaram o assalto. Uma delas estaria com uma pistola e disparou contra a adolescente, que foi atingida no peito, não resistiu ao ferimento e morreu no local. A mãe e a irmã das vítimas não sofreram ferimentos.

A adolescente era moradora do Corredor da Vitória e  estava a caminho do Colégio das Mercês, onde estudava. A instituição de ensino e o Comando Geral da Polícia Militar ficam próximos ao local do crime. 

O corpo de Cristal foi sepultado ainda na tarde de terça-feira, no Cemitério do Campo Santo, no bairro da Federação.

Ainda na terça, uma das suspeitas de envolvimento na morte da estudante, uma mulher de prenome Mara, foi foi localizada e presa em um beco, dentro de uma construção abandonada em uma invasão, na localidade Alto de Coutos, no Subúrbio Ferroviário. No início da tarde, uma outra mulher foi ouvida pela polícia. Ela negou participação no crime e foi liberada em seguida.

Em coletiva na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para onde ela foi conduzida, a delegada responsável pelo caso afirmou que a suspeita negou ter sido a responsável por atirar em Cristal. 

A polícia segue em busca da segunda envolvida no crime, que também já foi identificada e qualificada.  As buscas contam com equipes do DHPP, do Depom, do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP).

Publicações relacionadas