adblock ativo

Geração de empregos na indústria deve aumentar gradativamente no segundo semestre, diz Fieb

Publicado sexta-feira, 04 de setembro de 2020 às 06:00 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: João Paulo Almeida
A geração de empregos na indústria sofreu um forte atraso | Foto: Divulgação
A geração de empregos na indústria sofreu um forte atraso | Foto: Divulgação -
adblock ativo

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil teve um tombo histórico de 9,7% no 2º trimestre, na comparação com os 3 primeiros meses do ano, devido ao impacto da crise do coronavírus. Entre os segmentos, a maior queda foi na indústria (-12,3%), seguida por serviços (-9,7%).

A queda do PIB também gerou um forte impacto na questão do emprego no país. O economista da Gerência de Estudos Técnicos da Fieb, Carlos Danilo Almeida, explicou que a geração de empregos na indústria sofreu um forte atraso nos meses de abril maio e junho porém em julho já iniciou uma recuperação que deve se manter durante o segundo semestre.

“Os dados de julho já mostram saldo positivo na geração de empregos na indústria do Brasil (+51 mil). As maiores perdas foram registradas nos meses de março, abril e maio que tiveram forte movimento de desligamento, principalmente o mês de abril, quando houve uma perda líquida (saldo de admissões menos desligamentos) de quase 100 mil empregos na indústria. Espera-se que o movimento de recuperação continue”.

Matéria produzida pelo portal Bahia Econômica

adblock ativo

Publicações relacionadas