adblock ativo

Eleição de líderes de classes amplia a autoestima

Publicado segunda-feira, 24 de agosto de 2015 às 12:59 h | Atualizado em 24/08/2015, 12:59 | Autor: Adriane Primo
adblock ativo

A aluna Bianca Oliveira, 16, do 1º ano, e Ana Carolina, 18, do 2º ano do Colégio Estadual Professor Rômulo Almeida, no Imbuí, estão bastante animadas com os cargos que adquiriram há três meses.

Quando iniciaram como líderes, a primeira decisão tomada foi a de montar um grupo no WhatsApp para informar a suas respectivas turmas sobre as atividades passadas pelos professores e demandas vindas da coordenação da escola.

Agora, as meninas querem levar palestras à escola que tratem de gravidez, emprego, racismo e violência.

"Vamos nos reunir em breve, mas esses são os temas que gostaríamos que fossem abordados", diz Bianca.

Eleição

Em maio deste ano, os estudantes da rede estadual de ensino realizaram eleição geral para a escolha de líderes de classe. A iniciativa faz parte do eixo 2 do Programa Educar para Transformar - Um Pacto pela Educação, da Secretaria de Educação do Estado da Bahia.

O programa é inédito e tem como objetivo melhorar os índices educacionais no estado. Segundo a coordenadora do programa, Valuza Saraiva, a intencionalidade do programa é trabalhar as potencialidades da juventude.

"Nós entendemos o quanto é importante envolver os alunos neste processo. Não para institucionalizar, mas para destacar suas potencialidades, respeitando seus aspectos individuais. Paralelamente a isso, nós sabemos que quando um jovem fala para o outro a compreensão daquele ouvinte é muito maior do que quando o professor é o interlocutor. Nesse sentido, precisamos estar unidos para um bom resultado".

Em novembro será realizado o 4º Encontro Estudantil: Ciência, Arte, Esporte e Cultura, na Arena Fonte Nova. Na programação, rodas de conversas que abordarão temas relacionados a responsabilidade social. "Será um momento de troca", garante Valuza.

adblock ativo

Publicações relacionadas