adblock ativo

ONU pede US$ 150 mi para vítimas da guerra no Líbano

Publicado segunda-feira, 24 de julho de 2006 às 17:13 h | Atualizado em 24/07/2006, 17:13 | Autor: Agência Reuters
adblock ativo

A ONU pediu na segunda-feira 150 milhões de dólares em ajuda humanitária para a população do Líbano afetada por quase duas semanas de guerra entre Israel e o Hizbollah.



O coordenador de emergências da ONU, Jan Egeland, disse que esta é "a hora da maior necessidade para o povo libanês", "É uma situação que flagrantemente precisa da nossa assistência", disse ele no lançamento do programa "Auxílio-Relâmpago ao Líbano", em Beirute. Em um apelo inicial, no sábado, ele havia pedido pelo menos 100 milhões de dólares.



A nova soma serviria para fornecer alimentos, atendimento médico, água e saneamento a 800 mil pessoas durante três meses. A guerra já matou 377 pessoas no Líbano e 39 em Israel.



O envio de ajuda é dificultado pela destruição, cometida por Israel, da infra-estrutura libanesa, como pontes e estradas, e por ataques a caminhões comerciais, segundo nota da ONU.



"As atuais hostilidades continuam impedindo o acesso às populações afetadas e a livre movimentação do pessoal e dos bens de auxílio", disse a nota.



Estima-se que 700.000 pessoas fugiram das suas casas, das quais 150.000 se refugiaram na Síria. "Estamos particularmente preocupados com a população no sul do Líbano e em partes do vale do Bekaa", disse Egeland. "É aí que os civis agora estão no fogo cruzado mais difícil."



Uma operação completa de ajuda exigiria o fim dos confrontos entre o Hizbollah e Israel. Na ausência de um cessar-fogo, a ONU busca junto ao Exército de Israel garantias de trânsito para a ajuda no Líbano.



Além de destruir pontes e estradas, Israel também impôs um bloqueio aeronaval ao país e atacou o aeroporto de Beirute.



"Pedimos segurança no acesso a três portos --Beirute, Trípoli e Tiro", disse Egeland. "Fizemos progressos nas nossas negociações de Israel a respeito de rotas internas. Na quarta-feira, esperamos levar o primeiro grande comboio da ONU de Beirute para o sul, tomara que para Tiro."



O Acnur (órgão da ONU para refugiados) anunciou o envio de mais de 500 toneladas de mantimentos à fronteira sírio-libanesa, mas pediu garantias de segurança no restante do trajeto. "O drama dos refugiados no Líbano está ficando mais difícil a cada hora que passa, e é crucial que tenhamos um duto humanitário fluindo agora", disse o alto-comissário António Guterres.



Em Tel Aviv, uma autoridade norte-americana disse que os EUA vão contribuir com 30 milhões de dólares ao apelo da ONU. A ajuda deve incluir kits médicos para 100 mil pessoas, 20 mil cobertores e lençóis de plástico.



Em Londres, a secretária britânica de Desenvolvimento Internacional, Hilary Benn, prometeu outros 4,08 milhões de dólares para a ajuda humanitária no Líbano. Em nota, ela disse que um fundo da ONU está oferecendo outros 5 milhões de dólares, dos quais 1,4 milhão doados por Londres.



O Programa Mundial de Alimentos da ONU disse ter descarregado 25 toneladas de biscoitos de alto valor nutricional no porto de Beirute, para serem distribuídos aos refugiados.



"Muitas pessoas desabrigadas pelo conflito fugiram apenas com a roupa do corpo e com pouquíssima comida e dinheiro. A estocagem de comida também esvaziou os estoques das lojas e fez os preços dispararem", disse a agência em nota.



adblock ativo

Publicações relacionadas